Suspeitos de assalto em joalheria utilizaram pontos eletrônicos durante ação

Suspeitos de assalto em joalheria utilizaram pontos eletrônicos durante ação


As quatro pessoas presas por suspeitas de participação em assalto na joalheria Tânia Joias, no shopping Iguatemi, em Fortaleza, utilizaram pontos eletrônicos na ação. O equipamento foi usado pelo grupo para definir o momento mais adequado para realizar o assalto, que aconteceu no início da noite da última sexta-feira, 20. As informações são da audiência de custódia do crime. O POVO teve acesso ao documento da audiência, ocorrida na manhã deste domingo.

Os quatro homens presos são: Antônio Duarte Araújo Enéas, Douglas da Silva Dias, André Luiz dos Santos Nogueira e Lúcio Mauro Rodrigues Ferreira. Conforme o documento, Douglas foi o que "adentrou o estabelecimento comercial, munido de arma de fogo e efetuou disparos de projéteis no âmbito da loja". Antônio Duarte foi o que dirigiu o veículo para a fuga após o assalto. André Luiz foi o que fez o levantamento de informações para a quadrilha agir e deu o apoio logístico. Lúcio Mauro foi apontado como o chefe do grupo, idealizador do crime.

Os quatro homens foram presos neste sábado, 21, pela Polícia Civil do Estado do Ceará (PC-CE). Conforme o documento do Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE), a operação foi realizada pelos quatro homens. O primeiro entrou na loja sendo conduzido por um comparsa, enquanto o outro auxiliava, pelo ponto eletrônico, indicando a loja e o melhor momento para entrassem. A coordenação do crime ficou com o idealizador do assalto, que foi responsável pelo planejamento e orientação dos demais comparsas.

Um dos policiais que participaram das prisões disse que a rota de fuga dos assaltantes, os veículos utilizados e suas identidades puderam ser confirmadas pelos sistemas de videomonitoramento. Na decisão da audiência de custódia, as quatro prisões foram convertidas do flagrante para preventiva. O crime aconteceu na noite da última sexta-feira, 20, e vitimou a funcionária da loja, Caroline Alves da Rocha, que foi baleada durante o assalto. Neste sábado, 21, o corpo de Carol foi sepultado no cemitério Jardim Metropolitano, no Eusébio. O marido dela, Matheus Damasceno, prestou homenagem a ela pelas redes sociais.

Após análise do documento da custódia e indícios encontrados nos depoimentos das testemunhas e materiais, como a câmera de videomonitoramento da loja, assim como a morte da vendedora Carol Rocha, o Poder Judiciário do Estado do Ceará, comarca de Fortaleza, converteu a prisão em flagrante em prisão preventiva dos quatros suspeitos do delito. A defesa dos quatro acusados chegou a pedir a substituição da preventiva em medidas cautelares.

O Crime
Na noite de sexta-feira, 20, um homem armado entrou na joalheria Tânia Joias, no shopping Iguatemi, e rendeu a funcionária do estabelecimento, conforme informações iniciais da investigação. Imagens da câmera de segurança do local mostram o criminoso trocando tiros com o segurança da joalheria. A vendedora foi baleada durante a ação. Ela chegou a ser socorrida por equipes médicas, mas não resistiu aos ferimentos.

Na tarde de sábado, 21, quatro pessoas foram presas pela Polícia Civil suspeitas de participação do assalto à joalheria. O homem suspeito de atirar na vítima está entre os presos. As informações são da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Ceará (SSPDS), que também informou que irá divulgar mais detalhes do trabalho policial nesta segunda-feira, 23, durante coletiva de imprensa.

O Povo Online