Tenente da PM réu por tortura e extorsão é demitido pelo Governo do Ceará

Tenente da PM réu por tortura e extorsão é demitido pelo Governo do Ceará


O tenente da Polícia Militar do Ceará Donaldson Bezerra dos Santos foi demitido da Corporação pelo próprio governador Camilo Santana (PT), nesta quinta-feira (26). Ele havia voltado a trabalhar em 10 de agosto, após ter cumprido três anos de afastamento preventivo determinado pela Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos de Segurança Pública e Sistema Penitenciário (CGD). A decisão foi publicada no Diário Oficial do Estado (DOE). A defesa do PM não foi localizada.

Donaldson, conhecido como "tenente Playboy" é suspeito de extorsão e tortura. Em um dos processos a que responde na Justiça estadual, ele e outros três policiais são suspeitos de agredir uma mulher grávida, o que teria feito com que ela perdesse a criança.

De acordo com a decisão, um relatório de justificação elaborado pela CGD, que apurou os possíveis crimes do militar, considerou o tenente "definitivamente inabilitado para o ingresso em quadro de acesso e incapaz de permanecer na ativa, com a consequente aplicação da sanção de demissão".

Segundo o governador, Donaldson "não reúne condições de permanecer nas fileiras da Corporação Militar". Os autos que tramitaram na apuração administrativa, feita pela CGD, serão encaminhados ao Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE).

De acordo com o TJCE, o tenente responde a duas ações penais militares tendo como assunto principal "Crimes de Abuso de Autoridade". Ele é réu em ambas. Além dela, o militar também é réu em uma ação penal na 14ª Vara Criminal de Fortaleza por um crime de tortura. Há ainda outro procedimento judicial na Vara da Auditoria Militar, mas ele está sob segredo de Justiça.

G1 CE