Baleada no rosto em assalto, mulher pediu por socorro para que salvassem filha

Baleada no rosto em assalto, mulher pediu por socorro para que salvassem filha

 

Um verdadeiro massacre foi registrado na noite da última sexta-feira, 24, em Itanhaém, no litoral de São Paulo. Família foi surpreendida por assaltantes, que alvejaram todas as vítimas com tiros na cabeça. Uma adolescente de 17 anos e um pedreiro que trabalhava no local foram mortos.

De acordo com o portal G1, uma vizinha, que não quis se identificar, relatou que a dona da casa, uma mulher de 41 anos, implorou aos criminosos para que não machucassem ninguém. Na casa, além da mulher, havia as duas filhas (uma de 17 anos e outra de 12 anos) e um pedreiro que realizava serviços na residência.

O pedido da mãe não foi atendido e todas as vítimas da casa foram baleadas com tiros na cabeça. Ainda nessa noite, segundo a Polícia Militar, o motivo dos disparos vai ser apurado, mas há indícios de que houve “certa resistência” por parte do pedreiro e da própria mãe.

Conforme o relato colhido pelo G1, mesmo baleada com um tiro no rosto, a mulher implorou por ajuda às filhas. Mas só após a chegada da Polícia, quando os assaltantes já haviam fugido, os vizinhos conseguiram ir ao local.

"Foi uma cena de massacre, quatro pessoas com tiro na cabeça. Um terror”, declarou a vizinha ao portal.

Tanto a mãe quanto a filha de 12 anos foram levadas ao Hospital Irmã Dulce. A mulher de 41 anos depois foi levada a um hospital na capital paulista em estado estável. Já a adolescente continuou na mesma instituição sob observação.

A jovem de 17 anos , identificada como Isabelle Amaral Costa, também chegou a ser socorrida com vida para o mesmo hospital, junto com a mãe e a irmã, mas por volta das 2h30min desse sábado faleceu.

O pedreiro, identificado como Geosaldo Cesário Monteiro, que foi encontrado amarrado e com ferimentos graves, foi encaminhado para o Hospital Regional de Itanhaém, porém morreu pouco tempo depois. 

Prisão dos suspeitos

A Polícia Militar de São Paulo informou que deteve duas mulheres, de 20 e 26 anos, dois homens, de 22 e 27 anos, além de um adolescente, de 16 anos. Todos eles são suspeitos de estarem envolvidos no crime. Conforme a PM, o adolescente e o homem de 22 foram capturados em uma pousada – este último teria confessado ser o autor dos disparos.

A arma do crime, um revólver calibre .38 foi apreendido com os dois, que revelaram a localização dos outros suspeitos, que estavam com o veículo roubado da família.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo, o caso foi registrado como latrocínio, ato infracional pelo mesmo crime, tentativa de roubo, captura de procurado (o autor do disparo estava foragido da Justiça), apreensão de adolescente e corrupção de menor.

O povo