Ceará registra primeira morte de Covid-19 pela variante Delta; 71% dos infectados não tomaram vacina

Ceará registra primeira morte de Covid-19 pela variante Delta; 71% dos infectados não tomaram vacina


O estado do Ceará registrou a primeira morte de paciente infectado com a variante Delta do coronavírus. Segundo a Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), o homem de 45 anos, residente de Fortaleza, estava internado em hospital particular desde o dia 6 de agosto e faleceu no último domingo (29). Ele não estava vacinado contra a doença e tinha obesidade.

Conforme a Sesa, 71% dos pacientes infectados com a variante Delta não tomaram vacina contra a Covid-19. O estado soma 96 casos identificados da variante Delta, sendo 51 registrados em mulheres e 45, em homens, com predominância na faixa etária de 20 a 39 anos. Alguns pacientes estiveram ou estão internados e todos são rastreados e monitorados pela Vigilância Epidemiológica da pasta.

Do total de casos, 25 foram identificados através do Centro de Testagem Covid-19 para Viajantes, instalado no Aeroporto de Fortaleza – Pinto Martins. Os outros 71 foram confirmados pela Vigilância estadual ou por amostras encaminhadas à Rede Genômica da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) Ceará por unidades de saúde ou municípios.

No rastreamento da Sesa, 26 pacientes relataram não ter histórico recente de viagens ou contato com viajantes, confirmando a transmissão comunitária da variante Delta no Ceará. Dos casos importados, o Rio de Janeiro é o estado de procedência com maior incidência, com cerca de 50% das amostras.

Casos identificados
Ainda de acordo com a Secretaria da Saúde do Ceará, somente 29% dos 96 casos identificados com a cepa indiana do coronavírus no Ceará são de pacientes vacinados.

"Este dado serve de alerta para a população se conscientizar da importância da vacinação como a principal arma para lutarmos contra essa pandemia. Quem toma a vacina protege a si e à coletividade. Outra medida importante com a chegada da variante Delta no Estado, inclusive com circulação comunitária, é o reforço do protocolo sanitário, com uso de máscara, álcool 70%, higiene frequente das mãos, além de evitar aglomeração. A Sesa e os municípios reforçam as barreiras sanitárias nos aeroportos e rodoviárias. Todos têm que fazer sua parte, tanto o poder público como a população", destaca o secretário da Saúde do Ceará, Marcos Gadelha.

G1 CE