Cliente que abaixou short de funcionária no Ceará é indiciado por importunação sexual

Cliente que abaixou short de funcionária no Ceará é indiciado por importunação sexual


O cliente flagrado pelas câmeras de uma loja de conveniência abaixando o short de uma funcionária, o que fez com que parte corpo dela ficasse exposta, foi indiciado pela Polícia Civil por importunação sexual. O caso ocorreu em 16 de agosto em Iguatu, a 380 km de Fortaleza e foi investigado pela Delegacia Regional de Iguatu, que encerrou as apurações nesta segunda-feira (30).

Conforme o delegado regional de Iguatu, Marcos Sandro Lira, que esteve à frente da investigação com a Delegacia de Defesa da Mulher, as imagens das câmeras ajudaram na identificação do comerciante que puxou a roupa da jovem.

"Um senhor de 62 anos bebia no local, quando abaixou o short da garçonete que o atendia. Esse senhor foi indiciado pelo artigo 215 A, do Código Penal Brasileiro, que prevê uma pena de até cinco anos. As câmeras de monitoramento do local coletaram imagens que provaram o crime e ajudaram a identificar o autor. O procedimento será encaminhado para o Fórum local para apreciação do Ministério Público e Poder Judiciário", afirma.

A defesa do cliente diz que o caso "foi um incidente movido pelo excesso de bebida alcoólica" e que Roberto Nogueira "não teve qualquer intenção de importunar quem seja." A defesa diz, ainda, que o comerciante foi pegar na blusa da funcionária da loja e que, "equivocadamente, segurou na calça/bermuda da senhora que desceu um pouco."

As imagens mostram três homens e uma mulher em uma mesa consumindo no interior da loja. A funcionária vai até o local para limpar a área quando o homem a segura pelo braço e abaixa o short dela. A mulher fica assustada e empurra a mão do cliente. Em seguida, ela deixa o local. Um casal e dois homens que estão sentados em outras duas mesas observam a cena. Além da vítima, a polícia ouviu o comerciante e testemunhas que presenciaram a cena.

Ainda de acordo com a defesa de Roberto Nogueira, ele pediu desculpas e "se apresentou espontaneamente à polícia judiciária na última segunda-feira (30) e contou sua versão que foi confirmada pelas testemunhas presentes na loja de conveniência no dia 16 de agosto."

O Conselho da Mulher de Iguatu afirmou que acompanha de perto as investigações e que vai cobrar as autoridades. A Associação da Frente das Mulheres de Iguatu disse que montou uma comissão com objetivo de tentar localizar a mulher para prestar apoio.

“Damos um total apoio a essa mulher que foi violentada no espaço público aqui em nossa cidade. Essa situação não ficará impune. Nós estamos na luta e vamos acompanhar toda essa situação. Estamos à disposição desta mulher”, afirmou Camila Machado, que integra o conselho.

G1 CE