Delegada negra é barrada em loja em Fortaleza, e polícia investiga suspeita de racismo

Delegada negra é barrada em loja em Fortaleza, e polícia investiga suspeita de racismo

Uma delegada negra alega ter sido barrada na entrada de uma loja em Fortaleza e denuncia racismo por parte do segurança do estabelecimento. Na noite deste domingo (19), a Polícia Civil obteve autorização da Justiça e apreendeu equipamentos de registro de vídeo do estabelecimento para investigar o caso.

A delegada que afirma ter sido barrada, Ana Paula Barroso, é diretora-adjunta do Departamento de Proteção aos Grupos Vulneráveis, da Polícia Civil do Ceará. O inquérito policial que investiga o suposto crime foi instaurado na Delegacia de Defesa da Mulher de Fortaleza. O mandado judicial teve como objetivo apreender todos os equipamentos de registro de imagens da loja, localizada no Bairro Edson Queiroz.


O caso ocorreu na terça-feira (14), quando a delegada Ana Paula Barroso foi impedida de entrar no estabelecimento comercial por um funcionário, sob a alegação de “questões de segurança”. A Polícia Civil informou que, mesmo questionando e pedindo mais explicações acerca da conduta do funcionário, ela recebendo sem permissão para entrar no local.

Após a denúncia, foram requisitadas imagens das câmeras de segurança da loja, mas o estabelecimento se recusou a fornecer o material, conforme a Secretaria da Segurança do Ceará. Por conta da negativa, houve a representação pelo mandado de busca e apreensão junto ao Poder Judiciário. Com a decisão deferida, os policiais civis foram até a loja para dar cumprimento a busca e apreensão. O material subsidiará as investigações que estão em andamento.