Mulher cai de bicicleta ao ser assediada por homem em veículo; suspeito é preso

Mulher cai de bicicleta ao ser assediada por homem em veículo; suspeito é preso


Uma estudante de Direito caiu de bicicleta após um homem em um veículo assediá-la, passando a mão no corpo dela. O caso aconteceu no último domingo, 26, na cidade de Palmas, no Paraná, e foi registrado por uma câmera de videomonitoramento. A vítima, Andressa Lustosa, também compartilhou o caso por meio de uma publicação no Instagram: “Nós, mulheres, não temos um minuto de paz”.

Nas imagens, é possível ver o momento em que um carro se aproxima da jovem; uma mão do banco do carona é estendida em direção ao corpo da estudante, que logo em seguida vem ao chão. Os envolvidos saíram com o carro em seguida.

Nas redes sociais, o vídeo postado pela jovem causou revolta, com mais de 17 mil comentários. Andressa compartilhou, ainda, o ferimento que teve após cair da bicicleta. A estudante teve os ombros ralados.

Após o ocorrido, a vítima registrou um Boletim de Ocorrência (B. O) e procurou pelas câmeras de monitoramento na região para entender o que havia acontecido. A Polícia Civil informou que no carro estavam quatro pessoas no momento do crime. Todos foram identificados.

Em entrevista ao programa "Encontro com Fátima Bernardes", da TV Globo, nesta terça-feira, 28, Andressa disse que percebeu que o acidente aconteceu porque tinha sido tocada pelo suspeito. “Eu acho que está na hora de alguém tomar uma atitude. A gente não está aguentando mais esse tipo de situação. É humilhante nós mulheres não podermos sair na rua para fazer uma atividade física. Você não pode sair na rua por medo. Não é normal isso”, disse.

Homem é preso
Conforme informações divulgadas pelo portal G1, o homem suspeito de passar a mão na ciclista enquanto ela pedalava, em Palmas, na região sul do Paraná, foi preso nesta terça-feira, 28. A Polícia Civil informou, a princípio, que o caso é investigado como importunação sexual e lesão corporal. Andressa prestou depoimento à Polícia e fará exame de corpo de delito por causa das lesões.

“Alguém tem que parar esses agressores, esses abusadores, eles têm que entender que eles vieram de uma mulher, eles têm que respeitar. Já passou dos limites, é uma situação degradante para qualquer uma. Eu sei que hoje em dia muita mulher sofre e nem fala. E se não tivesse uma câmera para filmar, como é que eu ia provar o que aconteceu? Eu nem ia saber que o cara passou a mão em mim”, disse a vítima.

Assista o vídeo:


O Povo Online