Polícia identifica serial killer brasileiro que matou mulheres nos EUA

Polícia identifica serial killer brasileiro que matou mulheres nos EUA


A polícia norte-americana descobriu a identidade do homem brasileiro que assassinou três mulheres nos Estados Unidos durante a década de 2000. As informações foram divulgadas pelo xerife Gregory Tony na terça-feira (31/8), em coletiva de imprensa.

De acordo com Tony, a polícia de Miami constatou que Roberto Wagner Fernandes foi o autor dos crimes ocorridos há mais de 20 anos. Ele nasceu no Brasil, mas morou em Miami entre as décadas de 1990 e 2000. As mortes ocorreram entre junho de 2000 e agosto de 2001 e tinham padrões semelhantes. Na época, Fernandes vivia em Miami. O criminoso, no entanto, conseguiu fugir para o Brasil antes de ser encontrado pela polícia.

Durante as investigações, as autoridades norte-americanas coletaram material genético dos três crimes e perceberam que as impressões digitais eram as mesmas. Além disso, constataram que o material era semelhante às digitais tiradas de Fernandes após a morte de sua esposa, anos antes.

Ao buscar o paradeiro do homem, a polícia descobriu que ele estava morto. Com auxílio de autoridades de segurança brasileiras, os norte-americanos conseguiram autorização para exumar o corpo do criminoso. Eles conseguiram coletar amostras de DNA e confirmaram que o material genético era o mesmo presente na cena dos três crimes. 

Vítimas
A primeira das vítimas, Kimberly Dietz-Livesey, foi morta, colocada em uma mala, e deixada na região de Cooper, em Miami, em junho de 2000. A segunda mulher, Sia Demas, também foi assassinada e colocada em uma mochila. Depois, o criminoso deixou a bolsa ao longo de uma estrada na região de Dania Beach. O terceiro caso é o de uma mulher identificada como Jessica Good. Ela foi morta em agosto de 2001, e seu corpo foi encontrado flutuando na Baía de Biscayne.

Metrópoles