Talibã reprime protesto por direitos das mulheres em Cabul

Talibã reprime protesto por direitos das mulheres em Cabul

Combatentes do Talibã interromperam no sábado (4) uma manifestação de dezenas de mulheres em Cabul. Elas estavam protestando por seus direitos depois que o Afeganistão foi tomado pelo grupo. As mulheres afirmam que o Talibã as alvejou com gás lacrimogêneo e spray de pimenta enquanto tentavam caminhar de uma ponte até o palácio presidencial. O Talibã, por sua vez, afirmou que o protesto saiu do controle, de acordo com o serviço de notícias afegão Tolo News.

É o mais recente de vários protestos de mulheres em Cabul e Herat, a terceira maior cidade do Afeganistão. As mulheres reivindicavam o direito de trabalhar e serem incluídas no governo. O Talibã diz que anunciará a composição de seu governo nos próximos dias, e já declarou que as mulheres poderão se envolver no governo, mas não ocupar cargos ministeriais.

Muitas mulheres temem um retorno à forma como eram tratadas quando o Talibã estava no poder, entre 1996 e 2001. As mulheres foram forçadas a cobrir o rosto, e punições severas eram aplicadas por pequenas transgressões. "Vinte e cinco anos atrás, quando o Talibã chegou, eles me impediram de ir à escola", disse a jornalista Azita Nazimi à Tolo News.


G1