Um ano depois da promessa, o que aconteceu com a vinda dos Tuk Tuk para Santa Quitéria? Saiba mais

Um ano depois da promessa, o que aconteceu com a vinda dos Tuk Tuk para Santa Quitéria? Saiba mais


Era 06 de agosto de 2020. Os quiterienses começavam a alimentar expectativas com a notícia de um novo modelo de mobilidade que estava por vir no município: a promessa da chegada de três triciclos elétricos tuk-tuks, fenômeno bastante comum em países da Ásia e que aportaria em quatro cidades cearenses, dentre elas Santa Quitéria, como transporte de baixo custo sem emissão de gases e sem barulho. A Tuker, startup oficial, anunciava o início das operações para setembro. Um ano se passou e o que aconteceu?

De acordo com o empresário e ex-deputado Tomás Figueiredo Filho, um dos sócios da Tuker, o projeto se encontra na fase de MVP (produto minimamente viável), ainda bem experimental. "A pandemia atrasou a vinda dos veículos e essa demora nos obrigou a fazer uma atualização no software para as versões mais modernas do Android e iOS", explicou. 

Será através destes apps que os passageiros poderão solicitar o serviço e os motoristas poderão trabalhar com a empresa, já estando disponíveis na Play Store e em alguns dias na Apple Store. A estimativa é que um percurso médio de até dois quilômetros tenha um custo de no máximo R$ 5,00 para os usuários.


Tomás Filho conta ainda que a próxima fase é a definição dos primeiros municípios onde serão colocados esses primeiros veículos. Nas redes sociais da Tuker, citam Itapipoca, Canindé, Boa Viagem e Cumbuco, mas ele garante que pretende trazer para cá. "Claro que eu quero levar para Santa Quitéria. Tudo vai depender do perfil que precisaremos atingir no primeiro momento. Espero que em breve possamos vê-los pelas ruas de Santa Quitéria", destacou.

Ao longo deste ano, a empresa foi selecionada em algumas iniciativas de estímulo a startups, segundo Filho, a fim de 'colher mais experiências e conhecimentos para agregar à Tuker'. "Isso nos ajudou a abandonar algumas ideias e a agregar outras, e nos levou a ser finalistas em algumas dessas premiações", ressalta o empresário, que também está em negociações com possíveis fundos de investidores.

Como tudo começou
Os equipamentos saíram da China em 25 de junho de 2020, desembarcaram em julho no Porto de Santos, em São Paulo, onde foram montados e adesivados em maio deste ano. São sócios neste projeto Miguel Andrade, Deodato Ramalho Neto e Tomás Figueiredo Filho. A ideia é atender a necessidade de pequenos deslocamentos em cidades do Interior onde as pessoas ainda hoje não contam com o transporte público e nem privado (táxi ou outros aplicativos de mobilidade).


Os Tuk Tuk podem transportar até três passageiros – preferencialmente dois adultos e uma criança, além do motorista, suportando um peso de até 300 quilos. Mesmo sendo aberto nas laterais, o modelo dispõe de cintos de segurança e trafega com uma velocidade máxima de 40 quilômetros por hora.