Universitária fica com dívida de R$ 14 mil após emprestar cartão a mulher que fingiu ser amiga, no Ceará

Universitária fica com dívida de R$ 14 mil após emprestar cartão a mulher que fingiu ser amiga, no Ceará


A universitária Nayara Araújo denuncia um caso de estelionato que sofreu, na última segunda-feira (30), após um empréstimo de quase R$ 10 mil ser contratado na conta bancária dela. A suspeita é uma mulher se aproximou da universitária há cerca de dois meses, depois que passou a dividir apartamento com amigos da vítima, em Fortaleza.

A mulher apontada por Nayara como responsável pelo empréstimo, que deixou uma dívida de R$ 14 mil, é Deborah Alves Ramalho. A reportagem tentou contato com a suspeita, mas ela desativou as redes sociais e não atendeu em um número de telefone que, supostamente, pertence à ela.

A Polícia Civil do Estado do Ceará (PC-CE) informou que o 11º Distrito Policial (DP) apura um suposto caso de estelionato, registrado na manhã desta quarta-feira (1º), no Bairro Benfica — onde Nayara mora. A denúncia foi registrada inicialmente no 15º Distrito Policial (DP), por meio de Boletim de Ocorrência (BO). Na ocasião, a vítima foi ouvida. O procedimento foi transferido para o 11º DP, delegacia distrital responsável pela circunscrição onde ocorreu o fato.

“Eu a conheci porque ela morava com uns amigos meus, na Cidade 2000. Ela passou a dividir apartamento com eles há um tempo, quando ela fez uma seleção para trabalhar na mesma loja que eles. Aí eu passei a ter contato com ela, que se aproximou de mim e fez amizade, fingiu ser amiga e simpática”, explica a estudante.

Nayara comenta que, na segunda-feira, a suspeita foi ao shopping onde ela trabalha e pediu o cartão dela emprestado para pagar um serviço de R$ 10. Por conta da proximidade dos últimos meses, Nayara não suspeitou de nada e emprestou o cartão. Deborah efetuou a compra no valor informado e devolveu o cartão sem levantar nenhuma suspeita. No mesmo dia, ela pediu para ir à casa de Nayara e fazer uma ligação para uma pessoa que lhe devia dinheiro, segundo a vítima. “Ela demorou muito para fazer a ligação dizendo que estava esperando outra pessoa mandar o contato para ela ligar”, relembra Nayara.


“Nessa hora, ela pegou meu celular, acessou o aplicativo e conseguiu contratar um empréstimo de R$ 9,7 mil. Estou com uma dívida de R$ 14 mil para pagar; e ela ainda parcelou em 24 vezes. Ficou uma parcela de R$ 600 que eu realmente não tenho como pagar”, afirma a universitária. Contudo, Nayara só viu o empréstimo feito na terça-feira (31), quando abriu o aplicativo do banco para somar algumas dívidas.

Amigos descobrem outro caso
Na terça, os amigos de Nayara que moravam com Deborah tomaram conhecimento que a suposta estelionatária tinha extorquido R$ 2,5 mil de uma das pessoas que moram no apartamento e comentaram o caso com a estudante. Com isto, Nayara relembrou a visita de Deborah para fazer a ligação. “Daí eu pensei no meu notebook porque era a coisa com mais valor que tinha ficado exposta. Mas eu cheguei em casa e fiquei tranquila porque ela não tinha levado meu notebook”, explica a estudante.

Ainda na terça, porém à noite, foi quando a vítima descobriu o empréstimo feito, ao consultar dívidas em um aplicativo. “Quando eu fui olhar, estava constando que eu tinha 30 dias para pagar a primeira parcela do empréstimo. Quando eu abri o aplicativo, tinha um débito de R$ 14 mil com 24 parcelas de quase R$ 600. Eu fiquei sem reação, fiquei chocada” Nayara disse que no extrato da conta bancária ainda está registrada uma compra, com o valor do empréstimo, em uma empresa de turismo, que ela acredita ter sido feita por Deborah logo após a liberação do dinheiro ter sido aprovada pelo banco.

G1 CE