Wagner rebate críticas de Camilo: "Facções mandam no Ceará"

Wagner rebate críticas de Camilo: "Facções mandam no Ceará"


Pré-candidato ao Governo do Estado, o deputado federal Capitão Wagner (Pros) rebateu críticas do governador Camilo Santana (PT), que, na última quinta-feira, 16, acusou a oposição no estado de disseminar mentiras sobre a gestão petista.

“É fake news ou é verdade que facções mandam no Ceará? É fake news ou verdade que estão expulsando moradores das periferias? A segurança está sob controle do governo ou das facções? ”, questionou Wagner durante live nesse sábado, 19.

Em seguida, o deputado afirmou que, “se o governador sabe nomes e endereços de facções, e elas continuam atuando, aí tem um problema grave”. “Quem mora no Bom Jardim diga se é mentira que o dono da farmácia foi cobrado em cinco mil reais por facções”, continuou o republicano, “e que no Pirambu as facções estão cobrando 30% dos provedores de internet”.

As falas do deputado se dão na esteira de declarações mais incisivas de Camilo. No mês passado, o chefe do Executivo já havia se manifestado em live semanal com críticas à oposição pelas mesmas razões: suposta disseminação de fake news sobre ações do Abolição, principalmente na área da segurança, setor mais sensível da administração.

Novamente sem citar nomes, Camilo voltou à carga na quinta, 16, quando declarou que “todo dia é fake news nas redes sociais do governador”. “E eu digo a eles que a minha resposta é continuar trabalhando cada vez mais pelo povo de Fortaleza e do Ceará. Me desculpa o desabafo, mas é impressionante”, respondeu o gestor durante inauguração da Escola de Ensino Médio Hilza Diogo de Oliveira, no bairro Vila Velha.

Na transmissão de ontem, Wagner ressaltou que o “governador nem diz quem é a oposição nem qual é o fato”, mas se mostrou disposto a debater temas de interesse do estado. “O senhor solta uma coisinha na imprensa, mostra irritação e depois se esconde. Vamos para um debate, eu e o senhor? Vamos debater saúde, economia, as contas do estado?”, convidou o deputado.

O POVO