Apagão das redes sociais: mulher passa mal, pede socorro pelo WhatsApp e desmaia sem ajuda

Apagão das redes sociais: mulher passa mal, pede socorro pelo WhatsApp e desmaia sem ajuda


Em um dia de pane global nas redes sociais WhatsApp, Instagram e Facebook e de instabilidade em outras plataformas digitais, como Twitter e Telegram, houve quem esquecesse o tempo todo que os aplicativos não estavam funcionando e tentou usá-los mesmo assim. Foi o caso da advogada Tatiana do Amaral, 41 anos. A situação dela, entretanto, ofereceu riscos à própria saúde.

A mulher passou por um aumento repentino do nível de açúcar no sangue, conhecido como “dumping”, e tentou entrar em contato com o pai, que estava no mesmo sobrado, via WhatsApp. A mensagem não foi entregue, e Tatiana desmaiou. Ela afirmou que se esqueceu da possibilidade de ligar para o patriarca da família.

“Foi muito rápido. Acabei mesmo nem pensando em ligar. O ‘dumping’ é um pico de açúcar que causa efeitos parecidos com a hipoglicemia, então os efeitos dele são meio fortes. Eu estava no quarto e mandei pedido de ajuda pelo WhatsApp para o meu pai, que estava vendo TV na sala, já que moramos em um sobrado. Ele não viu, e eu apaguei… Acordei faz 5 minutos. Risco de vida não sei, mas como apaguei, ao menos corri risco de ficar com sequelas sim, porque o desmaio é falta de oxigenação no cérebro”, contou ao g1.

A advogada estima que ficou entre cinco e 10 minutos desacordada. Ela brincou que, da próxima vez, fará “como antigamente”: “Vou ser mais anos 90 e usar a boa e velha ligação ou dar um grito de socorro”.

No Twitter, uma das redes com menor instabilidade nesta tarde, usuários também ironizaram as ligações telefônicas, uma das saídas necessárias para entrar em contato com as pessoas – e também a mais tradicional.

Metrópoles