Bebê com 72% do corpo queimado após reação alérgica recebe alta

Bebê com 72% do corpo queimado após reação alérgica recebe alta

 

Após 46 dias hospitalizada, a bebê de 1 ano que teve 72% do corpo queimado devido a uma reação alérgica causada por um anticonvulsivo recebeu alta nesta terça-feira (26/10). Helena ficou internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital de Queimaduras de Goiânia e passou 19 dias intubada.

“Hoje, a nossa Helena começa uma nova fase em sua vida. Ao ver o estado inicial e final desse processo, vemos, sim, as mãos de Deus fazendo um milagre. O pior já passou”, comemora o representante comercial Hugo Cristiano Penno da Silva, 38 anos, pai da menina.

Helena passou por várias raspagens na pele e procedimentos de hidratação. Agora, deve continuar o tratamento em casa e cuidar da cicatrização. Segundo os médicos, é provável que Helena fique com marcas para o resto da vida.

Relembre o caso

O pesadelo da família de Anápolis (GO) teve início quando Helena apresentou espasmos, em agosto. Após exames, o médico receitou o antiepilético Lamotrigina. A dosagem inicial era baixa e foi aumentando aos poucos. No início de setembro, várias bolhas surgiram na pele da criança. O médico que a acompanhava, no entanto, afirmou se tratar de um processo natural.

“Tudo o que fizemos foi de acordo com os conselhos médicos”, disse Hugo. Após piora nas lesões, os pais de Helena a levaram para o Hospital de Queimaduras de Anápolis. “A médica de lá mandou internar assim que a viu. Diagnosticaram o quadro como sendo consequência da Lamotrigina”, pontua o pai de Helena.

Metrópoles