Hemoce visita Santa Quitéria e coleta doações de sangue nesta quinta-feira (07)

Hemoce visita Santa Quitéria e coleta doações de sangue nesta quinta-feira (07)


O Centro de Hematologia e Hemoterapia do Ceará (Hemoce) está em Santa Quitéria nesta quinta-feira (07) colhendo doações de sangue. Esta é a segunda visita do centro ao município este ano e a média esperada de doadores é de 80 pessoas. Segundo o cadastro de agendamento, 89 pessoas estão agendadas para fazerem suas doações hoje.

As doações estão acontecendo desde as 8h da manhã e irão até as 14h, no CVT de Santa Quitéria, no bairro Boa Vida. Para doar o candidato precisa estar portando RG ou documento com foto e CPF. Por conta da pandemia, as doações estão acontecendo através de agendamento, mas doações espontâneas também são coletadas.

Para a jovem Francilene Magalhães, de 26 anos, doar sangue já tornou-se algo frequente. A jovem que já viu o pai precisar desse tipo de doação, começou a doar com o intuito de poder ajudar outras pessoas. “A gente doando vai salvar vidas. Meu pai já precisou de doação de sangue, então vi essa necessidade de vir ajudar outras pessoas, assim como meu pai precisou, outras pessoas também irão precisar”, disse.

Doadora a muitos anos, salvar vidas é a motivação para doar de Maria Lucimar, de 49 anos, “Já sou doadora a muito tempo, e o que me motiva a doar são as pessoas que precisam, então eu quero salvar vidas, quero ser alguém que ajuda outras pessoas”. Essa também é a motivação de Laura Rodrigues, de 64 anos, doadora de sangue a mais de 20 anos, “perdi até as contas de quantas carteirinhas que tenho, a gente doando sangue não salva só uma vida, são várias, então eu irei não só doar enquanto eu puder, como também irei motivar outras pessoas a doarem”.

Segundo a enfermeira Lara Silva, coordenadora da coleta em Santa Quitéria, uma bolsa de sangue pode salvar até quatro pessoas. O primeiro passo para que a doação aconteça é o cadastro, posteriormente a aferição da pressão corporal do doador será feita e uma entrevista sobre seu estado de saúde, após isso a coleta é realizada.

Jeyson Rodrigues, de 19 anos, trabalha na área da saúde e além de doar sangue, também fez seu cadastro como doador de medula. “Eu vim doar devido a carência, a falta de doadores, e principalmente pra ajudar o próximo, a questão da empatia. E não quero ser só doador de sangue, quero ser doador de medula”, disse o jovem.

Para ser um doador de medula é preciso fazer um cadastro com as informações pessoais e em seguida é coletada uma amostra que será enviada ao Registro Nacional dos Doadores de Medula Óssea (Redome). Se a amostra for compatível com alguém que esteja a espera de uma doação, o doador é informado.