MP Ceará classifica a vacinação do cantor Wesley Safadão e da esposa como: 'Ilegal, imoral e criminosa'

MP Ceará classifica a vacinação do cantor Wesley Safadão e da esposa como: 'Ilegal, imoral e criminosa'

As investigações do Ministério Público do Ceará apontam que o cantor Wesley Safadão, a sua mulher, Thyane Dantas, e a produtora do cantor, Sabrina Tavares, tiveram ajuda de um amigo e ex-funcionário do artista para que ele tomasse a vacina contra a Covid-19 da Janssen e pudesse fazer shows nos Estados Unidos e México. 

O amigo, segundo o documento do MP, ao saber da "necessidade do cantor" de se vacinar com "imunizante amplamente aceito no exterior" se articulou com uma rede de contatos para viabilizar a vacinação.

Thyane Dantas furou a fila da vacina contra a Covid-19 em 8 de julho de 2021. Ela tinha 30 anos e, na época, o calendário municipal de vacinação previa aplicação em pessoas com 32 anos ou mais. Já Wesley Safadão e a produtora Sabrina Tavares estavam agendados para serem vacinados no mesmo dia no Centro de Eventos do Ceará, mas foram a outro posto de vacinação em um shopping.

O caso é alvo de duas investigações, na Polícia Civil, e no Ministério Público, e gerou um processo administrativo na Prefeitura de Fortaleza, em que uma servidora pública foi identificada e deve responder pela facilitação e dois terceirizados foram devolvidos à empresa. Oito pessoas foram indiciadas pela Polícia Civil.

O Ministério Público do Ceará classifica a vacinação dos três como "ilegal, imoral e criminosa, conforme revelaram as investigações". Para chegar à conclusão que deu base ao despacho, a apuração analisou imagens do North Shopping Jóquei, onde os três foram se vacinar, além de documentos e depoimentos colhidos.

G1