Músico é alvo de ovadas durante apresentação em frente a loja de instrumentos: 'Humilhado'

Músico é alvo de ovadas durante apresentação em frente a loja de instrumentos: 'Humilhado'


Um músico de rua, de 20 anos, foi atacado com ovadas quando tocava violoncelo em uma rua movimentada de Santos, no litoral de São Paulo. O artista viaja de cidade em cidade tocando nas ruas e em comércios para sustentar o filho pequeno. O instrumento, atingido pelos ovos, foi um presente que ganhou bisavô há oito anos.

O ataque aconteceu na Avenida Floriano Peixoto, na semana passada. Luiz Felipe Salinas Almeida tocava em frente a uma loja de instrumentos musicais quando ouviu um forte estalo e pensou que havia quebrado o instrumento, apelidado por ele de 'Tonha'. "Olhei para o instrumento, mas não tinha quebrado. Então, percebi que estava todo sujo e se tratava de ovos", contou. "Olhei pra cima e procurei quem tinha feito isso, mas não encontrei. A pessoa se escondeu em seguida".

"Me senti muito envergonhado, humilhado. As pessoas se revoltaram e uma multidão se formou ao meu redor. Eu não assimilei na hora o que aconteceu, mas queria que as pessoas saíssem de perto de tanto constrangimento que estava sentindo", desabafou.

Outro músico que viu a cena e o constrangimento de Luiz parou para ajudá-lo e, também, para compartilhar o ataque nas redes sociais. Em uma transmissão ao vivo, o homem mostrou os ovos jogados no chão e o prédio de onde supostamente eles teriam sido jogados.

"Uma pessoa com falta de empatia", desabafou Luiz no vídeo transmitido ao vivo. "Minha caminhada está aí há dois anos. Com certeza não é isso que me fará parar". Após o ocorrido, o músico ficou embaixo de um toldo para se proteger de novos ataques e continuou tocando o violoncelo.

Vida na estrada
Ao g1, o músico, Luiz Felipe Salinas Almeida, contou que pensou que nunca passaria por uma humilhação deste tipo. Ele, que é natural de Sorocaba, no interior paulista, diz que desde a gestação do filho, que hoje tem um ano e seis meses, passou a viajar entre as cidades de São Paulo e Minas Gerais procurando por lugares para tocar. "Todas as cidades em que fui eu consegui trabalho", contou.

O músico toca em bares, restaurantes, lojas e, principalmente, nas ruas para divulgar o próprio trabalho. Ele está em Santos há três semanas. Atualmente, essa é sua única fonte de renda e é com esse dinheiro que ele paga a pensão alimentícia do filho. Ele, que tem o costume de dormir dentro do próprio carro, para economizar os custos de hospedagem nas cidades por onde passa, chegou a ter o veículo guinchado em Santos e precisou contar com a ajuda de desconhecidos para reaver o veículo.

Após a repercussão do infeliz episódio, Luiz já conseguiu três lugares para se apresentar, sendo dois eventos e uma serenata de presente de aniversário. O maior sonho dele é conseguir viver sem apertos apenas da música. "Quero levar isso como objetivo de vida. No começo, foi uma necessidade. Hoje em dia é minha profissão e o meu sonho. Quero chegar num dia que eu não dependa somente de tocar na rua. Não quero parar de fazer isso nunca, mas quero que seja uma opção", conta.

Portal G1