Receita Federal norte-americana contrata hackers para invadir criptomoedas

Receita Federal norte-americana contrata hackers para invadir criptomoedas


Por conta da polarização no uso de carteiras de hardware para armazenar quantidades grandes de criptomoedas, como por exemplo, o Bitcoin, a Receita Federal norte-americana decidiu, recentemente, investir no desenvolvimento de tecnologias que possam permitir o acesso a fundos dentro desse tipo de dispositivo.
 
Recentemente, dentro do site norte-americano governamental que demonstra e também registra todos os contratos entre o Governo dos Estados Unidos e empresas privadas, mostra que uma empresa chamada VTO está trabalhando exatamente nisso, ou seja, basicamente o governo norte-americano quer hackear as carteiras dos investidores de criptomoedas.
 
O contrato entre a empresa e o governo norte-americano vai durar cerca de dois anos, tendo início em setembro de 2021. A justificativa que o governo norte-americano deu para essa ação é que, embora as carteiras sejam apreendidas quase todos os dias, o processo de descriptografá-las é algo desafiador.
 
É necessário muito mais pesquisa para conseguir obter-se resultados satisfatórios. A empresa contratada vai ter a tarefa de explorar um dispositivo específico, e mostrar que tem capacidade para comprometer a integridade do sistema de proteção que essas carteiras de hardware possuem, aprendendo o conteúdo que está dentro das carteiras.
 
Depois que essa prática for aplicada de forma mais consistente, a empresa vai trabalhar na possibilidade de explorar uma grande variedade de carteiras diferentes, a fim de identificar tendências que possam facilitar o desenvolvimento de técnicas para descriptografar essas carteiras.

Por que os EUA querem fazer isso?
Por mais que os Estados Unidos afirmem que são o país da liberdade, a verdade é que quando se trata do dinheiro da população eles querem ter um controle muito rigoroso sobre tudo isso. Consequentemente, o setor descentralizado dos criptoativos acaba permitindo que o povo norte-americano possa ter ativos que estejam, literalmente, escondidos do governo.
 
Isso pode trazer danos para a economia dos Estados Unidos, ou pelo menos é isso que o governo quer que as pessoas acreditem. Não é à toa que os Estados Unidos recentemente vem lutando contra o setor dos criptos, e recentemente, inclusive, chegou a dar um carteiraço em uma das corretoras do setor que atua nos Estados Unidos.
 
A verdade é que os Estados Unidos têm medo do que o mercado de criptoativos possa fazer com o poder econômico que o país tem. Mas dificilmente os Estados Unidos, ou qualquer outro país, vai conseguir impedir que esse setor de finanças descentralizado cresça. E quando você for fazer uso dessas DeFi, use plataformas de criptografia confiáveis, como crypto-engine.org

É possível burlar o protocolo de segurança de uma carteira hardware?
Carteiras de hardware são conhecidas internacionalmente por conta de sua segurança, já que as transações vão ser sempre assinadas pela própria carteira, o que faz com que tudo aconteça dentro de um ambiente seguro.
 
Embora o objetivo do governo dos Estados Unidos atualmente seja procurar por falhas na segurança desse tipo de dispositivo, a verdade é que os fabricantes dessas carteiras trabalham juntamente com programas de recompensas, incentivando os usuários a tentar encontrar bugs nas carteiras.
 
Em outras palavras, significa que os Estados Unidos e a empresa que vai trabalhar nesse projeto tem um trabalho colossal pela frente. O problema aqui é que, dependendo das falhas que possam ser encontradas, tudo o que os fabricantes precisam fazer para voltar a deixar as carteiras 100% protegidas é uma atualização de software.
 
É por conta disso que muitas pessoas estão preferindo transformar suas reservas em criptomoedas, já que caso o dinheiro estivesse investido em um banco, seria muito mais fácil para o governo apreendê-lo.
 
O uso das criptomoedas permite aos cidadões ter acesso ao seu próprio dinheiro com muito mais facilidade, criando mais dificuldade na hora do governo tentar se certificar do quanto você ganha, e dessa forma, cobrar tributos e impostos sobre os valores que você recebeu.
 
O governo norte-americano pode até conseguir encontrar falhas nas carteiras, entretanto, isso vai acabar resultando apenas de uma corrida de gato e rato, onde o governo norte-americano fica pressionando as empresas, tentando encontrar falhas, enquanto os desenvolvedores das carteiras vão simplesmente atualizando seus softwares.
 
No fim das contas, essa decisão tomada pelo governo norte-americano pode se provar infrutífera, assim como provavelmente vai ser a batalha contra os criptoativos, que vão continuar sendo descentralizados e não regulamentados em grande parte do mundo inteiro.