Suspeito de matar policial penal durante assalto é preso no Ceará

Suspeito de matar policial penal durante assalto é preso no Ceará

João Vitor Matos Rodrigues, conhecido como "Galo", foi capturado nesta segunda-feira (18), em Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza. — Foto: Rafaela Duarte/ SVM

O suspeito de matar um policial penal durante uma tentativa de assalto na cidade de Umirim, no interior do Ceará, foi preso nesta segunda-feira (18), em Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza. Manoel Janay Lopes de Oliveira, de 32 anos, conhecido como J. Oliveira, trafegava em uma motocicleta no Bairro Bananas, com um mototaxista, quando foi abordado por homens armados que anunciaram um roubo. Ao reagir, o policial penal foi atingido por disparos e morreu no local, na última quinta-feira (14).

Conforme o secretário da Administração Penitenciária, Mauro Albuquerque, a captura do criminoso ocorreu durante uma operação integrada realizada pela Polícia Militar, Polícia Civil, Polícia Penal e serviço de inteligência da Secretaria da Segurança. Mauro Albuquerque também informou que João Vitor Matos Rodrigues, conhecido como "Galo", está diretamente ligado ao assassinato do policial penal e fugiu para Fortaleza após o crime.

Operação
Ainda segundo o secretário, armas de fogo foram apreendidas no fim de semana, durante as buscas pelo suspeito. As investigações continuam para identificar e prender outros envolvidos no crime. "Estamos mostrando, mais uma vez, que nós iremos atrás dos criminosos, em qualquer lugar do Estado, quando qualquer um policial das forças de segurança for alvejado. Só sairemos de lá quando todos os envolvidos estiverem presos", disse Mauro Albuqurque.

Manoel Janay Lopes de Oliveira, de 32 anos

Nota de pesar
A Associação dos Profissionais da Segurança lamentou a morte do profissional. "Entregamos aos familiares e amigos os nossos mais sinceros sentimentos, que Deus conforte a todos neste momento de dor e receba o agente de braços abertos", publicou a associação, em nota de pesar.

Manoel Janay Lopes de Oliveira, conhecido como J. Oliveira, de 32 anos, serviu ao sistema penitenciário por mais de 7 anos. Em sua função antes de morrer, ele atuava na unidade do Centro de Execução Penal e Integração Social Vasco Damasceno Weyne.

G1 CE