Adolescente que desapareceu no DF usou documento falso para viajar de avião ao Ceará, diz polícia

Adolescente que desapareceu no DF usou documento falso para viajar de avião ao Ceará, diz polícia

 

A adolescente de 13 anos do Distrito Federal que ficou desaparecida por seis dias e foi localizada em Massapê, a 244 km de Fortaleza, usou um documento falso para conseguir fazer uma viagem de avião. O delegado regional de Sobral, Paulo Castro, disse que percebeu a falsificação assim que viu o documento.

"Foi uma das primeiras coisas a averiguar. Quando eu peguei a documentação dela, já vi de pronto. Ela já estava com documento falso. Aparentava ter 18 anos. E acreditamos que foi esse documento falso que levou ela conseguir fazer viagem de avião tranquilamente de Brasília até Fortaleza", afirmou.

A adolescente saiu de casa, em Samambaia, por volta das 6h20 de sexta-feira (5), dizendo que iria para a escola, mas não voltou. Na quinta-feira (11), ela foi localizada no Ceará com um homem de 35 anos, que foi preso.

A menina, que mora com a família, não chegou a aparecer no colégio. Câmeras de segurança mostraram que Tainá, ao sair de casa, pegou o caminho oposto à escola, e caminhou em direção ao Metrô.

Um tio da garota disse ao g1 que a família não tem parentes naquele estado, mas que "está aliviada" por localizar a menina.

Ainda segundo o delegado, o próprio homem a recebeu no aeroporto e antes de virem para Massapê realizaram passeios por Fortaleza. Para saber em qual cidade eles estavam a polícia descobriu os endereços de todos os familiares dele e souberam que eles estavam em Massapê.

"Quando ela chegou a Fortaleza, ela já foi recebida no aeroporto por ele. Daí eles saíram, fizeram passeios por Fortaleza e vieram para Massapê. Como chegamos nele? Nós tínhamos um possível nome da rede social e fizemos uma investigação da vida dele e descobrimos que ele estava residindo em Massapê. Pegamos endereço de todos os familiares dele. Todas as pessoas relacionadas a ele. Quando a polícia se apresentou, ele falou logo do que se tratava e mostrou onde a menina estava", disse.

A Delegacia Regional de Sobral continua com as investigações e vai pedir à perícia da identidade para comprovar a falsificação do documento. A adolescente deve retornar para Brasília nesta sexta-feira (12).

Entenda o caso

As últimas imagens da adolescente foram feitas pelas câmeras de segurança de uma rua, perto de casa, logo que saiu. Um tio da garota disse ao g1 que ela respondeu a uma mensagem da mãe por volta das 11h da sexta passada. "Ela disse que estava tudo bem, que ia lanchar e ia para o turno da tarde na escola".

No mesmo dia, por volta das 16h, o tio disse enviou outra mensagem para a mãe informando que a bateria do celular iria descarregar. A menina teria dito que, se não atendesse o telefone, era porque o aparelho estava descarregado.

Segundo o parente, às 18h22, a sobrinha mandou outra mensagem dizendo "estou em aula". No entanto, a mensagem foi mandada por SMS e mãe e filha nunca se comunicavam por mensagens assim, contou o tio.

"Esse tipo de diálogo SMS é incomum hoje em dia. Isso deixou a gente com a pulga atrás da orelha", disse o tio.

Depois que a garota não voltou para casa, na sexta-feira, a mãe dela foi até a escola e descobriu que a filha não não havia ido para a aula, nem mesmo pela manhã. A família e a Polícia Civil começaram, então, a buscar imagens de câmeras de segurança para tentar refazer o trajeto.

De acordo com a família, a menina não tinha motivos para ir embora.

"O máximo que ela ia era ao mercado ou para a igreja porque ela fazia parte da pastoral de eventos", diz o tio.

G1 CE