Autoridades de Santa Quitéria realizam audiência pública nesta sexta (19) para discutir sobre a Mina de Itataia

Autoridades de Santa Quitéria realizam audiência pública nesta sexta (19) para discutir sobre a Mina de Itataia


Aconteceu na manhã desta sexta-feira (19), em Santa Quitéria, a audiência pública que discutiu assuntos relacionados a Mina de Itataia, localizada entre os municípios de Santa Quitéria e Itatira. A Escola Profissionalizante Monsenhor Luiz Ximenes sediou a reunião.

O evento foi uma realização da Câmara de Vereadores e contou com a presença do prefeito Braguinha, da vice-prefeita, Lígia Protásio, dos parlamentares e do deputado estadual Bruno Pedrosa, além de representantes do movimento anti-mineração e moradores de áreas próximas onde a jazida se encontra.

A Mina de Itataia, que possui uma grande concentração de urânio e fosfato, vem sendo pauta de diversas discussões entre as autoridades municipais e estaduais. O foco principal foi discutir a pavimentação asfáltica da CE que liga o município de Santa Quitéria à mina, trecho avaliado em 70 km. Recentemente, foi anunciado pelo Governo do Estado uma obra de asfaltamento da estrada que liga Itataia ao distrito de Lagoa do Mato, em Itatira.


Para a vice-prefeita de Santa Quitéria, Lígia Protásio, a expectativa para a discussão era muito boa. Segundo ela, é preciso levar em consideração os possíveis impactos da Mina para o município e isso deve fazer parte do plano de ação da prefeitura. “A gente vai sofrer com o impacto [da mina], então a gente tem que ouvir e estudar toda essa questão do que vai acontecer, quais os problemas, quais os benefícios, e a gente montar nosso plano de governo também baseado nisso. Para que a nossa comunidade esteja resguardada de qualquer problema que venha a ter”, disse.

Os benefícios, após uma real abertura de Itataia, foi um dos pontos debatidos durante a audiência. Segundo o vereador Joel Barroso, presidente da Câmara, “nós fizemos o chamado dos deputados estaduais e federais votados no nosso município para que possamos cobrar outras benfeitorias para o município já que a mina encontra-se no território quiteriense”. O deputado Bruno também destaca que Santa Quitéria pode vir a receber alguns benéficos com a abertura, “diante desses investimentos que possam vir para cá, através da empresa que está vindo, tanto privada, como também a nível de governo do estado e a nível de governo federal”.

Para o representante do movimento anti-nuclear, Erivan Silva, o impacto da mina pode ser muito prejudicial para a população ao redor e para o meio ambiente. “Nós continuamos dizendo não a mineração porque achamos que ela pode ser muito prejudicial, principalmente para as comunidades que estão no entorno da jazida, mas também para toda essa região norte do Estado do Ceará”, afirmou.


Em fevereiro de 2019, o Ibama arquivou o processo de abertura da mina a partir de dois pontos: a inviabilidade socioambiental e hídrica da mina. Os estudos para uma possível abertura da mina já duram cerca de quarenta anos.