Cidades do Ceará que desperdiçaram vacina alegam baixa procura e doses perto do vencimento

Cidades do Ceará que desperdiçaram vacina alegam baixa procura e doses perto do vencimento


Municípios cearenses investigados sobre um possível desperdício de vacinas contra a Covid-19 alegam baixa procura pela segunda dose, abandono por parte da população do esquema vacinal, problemas na central de abastecimento e vacinas com a data próxima do vencimento. O Ministério Público do Ceará investiga o caso.

De acordo com a Secretaria da Saúde (Sesa), erros no estoque, acondicionamento inadequado e não utilização no prazo estariam entre os fatores que podem estar levando ao perecimento de vacinas. Segundo dados da Sesa, até o dia 8 de novembro, 16 municípios oficializaram perdas de imunobiológico, especialmente da Pfizer, por irregularidades na cadeia de frio e conservação das doses, totalizando 14.627 doses que deixaram de ser aplicadas na população.

Sobre o problema, o promotor de Justiça do MPCE, Eneas Romero, os números de doses desperdiçadas são expressivos e que isso deve ser esclarecido pelas cidades. “No caso de Barreira município muito pequeno foram 1.200 doses. É o equivalente mais ou menos 5% da população de 22 mil. A mesma coisa em relação a Pindoretama. Aquiraz e Pacajus municípios de maior porte você está falando mais de 2 mil doses. E no caso do Crato são mais de 5 mil doses. Então são números muito expressivos de vacinas desperdiçadas e isso precisa ser devidamente esclarecido pelos municípios”, explica.

Em Aquiraz, na Grande Fortaleza, a Secretaria Municipal de Saúde, alega que os moradores não estão indo procurar a dose dois e que o município já iniciou mutirões para evitar que esses imunizantes sejam desperdiçados. Já em Pacajus, também na Região Metropolitana, a prefeitura reclama da distribuição das vacinas já que muitas delas estavam com as doses perto do vencimento.

Na Região do Cariri, a cidade do Crato registrou cinco mil doses desperdiçadas. Segundo a gestão municipal, muitas pessoas abandonaram o esquema de vacinação, ou seja, não estão retornando para receber a segunda dose.

G1 CE