Corpo encontrado no mar é do piloto de bimotor que caiu no litoral de SP

Corpo encontrado no mar é do piloto de bimotor que caiu no litoral de SP

 

É do piloto Gustavo Carneiro o corpo encontrado na tarde dessa quinta-feira (25/11), próximo ao local onde teria caído o avião bimotor, em Ubatuba, no litoral de São Paulo. Natural de Corumbá (MS), o corpo de Carneiro foi reconhecido pela família nesta sexta-feira (26/11), no Instituto Médico Legal do Rio de Janeiro.

Leila Carneiro, mãe da vítima, contou ao G1 que o corpo será cremado. “Não tenho estrutura emocional para ver meu filho num caixão. Perdemos o pai dele em maio de 2020 por causa da Covid-19. É muita dor para a família”, disse.

De acordo com o Instituto Médico Legal (IML) de Campo Grande, o corpo foi necropsiado na tarde de quinta-feira (25/11). Mas a identificação não tinha sido possível, até aquele momento, porque as papilas estavam maceradas, tendo em vista o tempo que ficaram em contato com a água. A identidade só foi confirmada pela mãe do piloto.

Antes da decolagem, em postagem nas redes sociais, Gustavo fez check-in no local de embarque. Horas antes da queda, ele publicou que estava no Aeroporto Campo dos Amarais, em Campinas, às 11h07.

FAB encontra corpo

O corpo do piloto do avião bimotor foi resgatado por um helicóptero da Força Aérea Brasileira (FAB), que transportou o corpo até a Base Aérea de Santa Cruz, de onde seguiu para o IML. As buscas pelos outros dois ocupantes da aeronave continuam, o copiloto José Porfírio de Brito Júnior, de 20 anos, proprietário do avião, e um passageiro, que ainda não teve o nome revelado.

Nesta sexta-feira, imagens dos últimos momentos do copiloto e do passageiro, no saguão de um aeroporto em Campinas, foram divulgadas, permitindo a identificação da terceira vítima.

O copiloto e proprietário do avião se chama José Porfírio de Brito Júnior, de 20 anos. O passageiro ainda não foi identificado. O avião bimotor decolou com atraso em Campinas.

O voo estava previsto para sair às 17h, mas só partiu às 20h30 do dia 24. O último contato com a aeronave foi feito às 21h40, pela torre do Rio de Janeiro. O avião estava em situação normal, com autorização para realizar voos noturnos, porém, não tinha permissão para fazer táxi aéreo.

Segundo dia de buscas

As buscas pelos corpos dos dois desaparecidos foram retomadas nesta manhã (26/11). Agentes dos bombeiros de SP e do RJ voltaram a procurar pelos tripulantes do avião bimotor por volta das 6h30, com o apoio da Lancha Tamanduá da Marinha do Brasil.

A Aeronáutica informou ao Metrópoles que o Centro de Coordenação de Salvamento Aeronáutico de Curitiba (ARCC-CW), unidade responsável por coordenar as operações de buscas aéreas na região, encontrou destroços de uma aeronave na região.

Metrópoles