Engenheiro com paralisia cerebral cria aparelhos para pessoas com deficiência usarem computadores

Engenheiro com paralisia cerebral cria aparelhos para pessoas com deficiência usarem computadores

O engenheiro Júnior Prado, de 31 anos, parou para pensar nas próprias dificuldades quando criança e decidiu desenvolver soluções. Desde a graduação, quando ingressou no curso de engenharia de computação, da Universidade Federal do Ceará (UFC), em Sobral, ele vem desenvolvendo — e avançando — na produção de aparelhos que auxiliam pessoas com deficiência na utilização de computadores.

Da necessidade particular pela paralisia cerebral, foram produzidos três inventos que atuam de forma complementar: um mouse criado a partir de uma impressora 3D (o “mouse adapt”), um editor de textos e um teclado adaptado, que funciona com sinais eletromiográficos, emitidos pelos movimentos intencionais de escrita da mão.

Atualmente, fora da universidade após concluir o mestrado, Júnior desenvolve a quarta versão do "mouse adapt". Embora o instrumento ainda esteja em fase de teste, o objetivo é que um usuário possa utilizar o computador ao contrair um músculo do antebraço ou da parte superior do braço.


G1