Feriado nacional em homenagem a Irmã Dulce é aprovado pelo Senado

Feriado nacional em homenagem a Irmã Dulce é aprovado pelo Senado

 

Um projeto de lei que pretende instaurar um feriado em homenagem a Santa Dulce dos Pobres foi aprovado pela Comissão de Educação do Senado, na última quinta-feira, 18. A proposta agora segue para análise na Câmara de Deputados e, em caso de aprovação, será encaminhada para sanção presidencial. O novo feriado seria celebrado no dia 13 de março.

O projeto de lei é de autoria do senador Flávio Arns (Podemos-PA). Canonizada em outubro de 2019, pelo Papa Francisco, Irmã Dulce é a primeira santa genuinamente brasileira. A data proposta para o feriado faz referência ao dia de sua morte. A igreja Católica, no entanto, celebra a Santa Dulce em 13 de agosto, dia em que se tornou freira.

Irmã Dulce nasceu em Salvador, no ano de 1914. Conhecida como "anjo bom da Bahia", dedicou boa parte da vida a ações sociais. Em 1959, ocupou um galinheiro ao lado do Convento Santo Antônio e improvisou uma enfermaria para cuidar de doentes. Em 1960, o lugar se transformou no Hospital Santo Antônio, sendo atualmente um dos maiores do Nordeste.

A Santa teve dois milagres reconhecidos pela Igreja Católica. O primeiro faz referência a um caso ocorrido em 2001, quando orações em seu nome teriam feito parar a hemorragia de uma mulher, que morreu durante 18 horas após dar à luz. Já em 2014, o maestro baiano José Maurício Moreira voltou a enxergar após 14 anos de cegueira.

Em setembro de 2019, o governo da Bahia já havia decretado o dia 13 de outubro como Dia de Irmã Dulce. A data, no entanto, não é feriado.

O povo