Fiocruz pede cautela para retomada de eventos com aglomerações

Fiocruz pede cautela para retomada de eventos com aglomerações

 

O novo Boletim do Observatório Covid-19 Fiocruz, divulgado nesta quinta-feira (4/11), não recomenda a volta irrestrita de eventos sociais com aglomeração. Para os pesquisadores, é necessário atingir pelo menos 80% da cobertura vacinal contra Covid-19 para que esse tipo de encontro possa ser realizado com segurança.

A recomendação é de que, enquanto caminhamos para um patamar ideal de cobertura vacinal, medidas de distanciamento físico, uso de máscaras e higienização das mãos sejam mantidas e que a realização de atividades que representem maior concentração e aglomeração de pessoas só sejam realizadas com comprovante de vacinação”, afirmam os cientistas da Fiocruz.

A instituição ainda ressalta para a possibilidade de os adolescentes se tornarem disseminadores da Covid, tendo em vista que são um dos grupos que mais circulam nas ruas e convivem com outras pessoas mais vulneráveis: “É equivocado pensar que, com a população somente adulta coberta adequadamente, a retomada irrestrita dos hábitos que aglomeram pessoas é possível”.

Apesar do aumento na imunização no Brasil, o patamar está distante do ideal e muitas pessoas ainda não receberam a segunda dose. Nações da Europa e os Estados Unidos sofrem com novos surtos de Covid-19 por conta de uma vacinação ainda insatisfatória.

Estabilidade nas taxas de transmissão

De acordo com a Fiocruz, o cenário brasileiro ainda é de estabilidade nas taxas de transmissão da Covid-19. Entre os dias 24 e 30 de outubro, a média foi de 11.500 casos e 320 óbitos diários por conta da doença, representando queda de 0,7% por dia nos registros de casos e de 0,4% nas mortes.

“Embora o registro de casos e de óbitos por Covid-19 se mantenha em trajetória descendente, a taxa de positividade dos testes de diagnóstico permanece alta, o que pode ser atribuído à exposição ao vírus e à presença de indivíduos fora de casa”, afirma o boletim da Fiocruz.

Além disso, a taxa de ocupação das UTIs Covid-19 para adultos no Sistema Único de Saúde (SUS) se mostrou em patamares inferiores a 50% na maior parte dos estados e do DF. O Espírito Santo é o único estado na zona de alerta intermediário, com 67% de ocupação.

Metrópoles