Vítima de feminicídio pediu medida protetiva quatro dias antes de ser assassinada com a mãe pelo ex-companheiro

Vítima de feminicídio pediu medida protetiva quatro dias antes de ser assassinada com a mãe pelo ex-companheiro


A enfermeira Kelry Veríssimo, de 24 anos havia pedido na Justiça uma medida protetiva na última quinta-feira (26), quatro dias antes de ser morta a facadas pelo ex-companheiro na frente da filha do casal, de 6 anos, em Acaraú, no interior do Ceará, na madrugada deste domingo (28).

O pedido de proteção foi feito após as constantes ameaças que a vítima recebia. A mãe dela, a professora Maria de Jesus Veríssimo, 47 anos, e o pai tentaram defender a jovem, mas foram atingidos pelos golpes de faca. Maria de Jesus morreu. O pai teve um infarto durante o ataque do ex-genro e também foi ferido a facadas.

O ex-companheiro da jovem, de 28 anos, foi preso. Ele já tinha antecedentes criminais por lesão corporal dolosa. O suspeito está internado em estado grave sob escolta policial na Santa Casa de Sobral. Ele foi agredido por populares após cometer os crimes e entregue à polícia.

Conforme o Tenente Edinaldo Gadelha, foi necessário montar um esquema de segurança no entorno do hospital com apoio da Guarda Municipal para que não houvesse uma invasão por parte de populares que estavam revoltados com a atitude do homem. Segundo testemunhas, a enfermeira estava morando com os pais e as duas filhas na localidade de Cauassu, após se separar do suspeito. Durante a madrugada, o homem pulou o muro, invadiu a casa da família e atacou a jovem com uma faca no quarto em que ela dormia com uma das filhas.

A mãe dela e o pai tentaram socorrer a filha, mas também foram atacados pelo homem. As crianças não ficaram feridas. De acordo com a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), algumas pessoas ajudaram a socorrer a família a uma unidade de saúde na cidade. Maria de Jesus morreu horas após o crime.

Kelry foi socorrida em estado grave e chegou a ser transferida para a Santa Casa de Sobral, mas não resistiu aos ferimentos. Já o pai dela está internado. O suspeito foi conduzido à Delegacia Municipal de Bela Cruz e autuado por lesão corporal e feminicídio consumado. Kelry e Maria de Jesus trabalhavam na rede municipal de Acaraú. A prefeitura da cidade, Ana Flávia Monteiro lamentou o ocorrido e emitiu nota de pesar pelas mortes de mãe e filha. A gestora municipal decretou luto oficial de três dias na cidade.

G1 CE