Ataque hacker adia exigência de quarentena e prova vacinal de viajante

Ataque hacker adia exigência de quarentena e prova vacinal de viajante

 

O governo adiou, em sete dias, a exigência de quarentena e prova vacinal para turistas estrangeiros que chegam ao país. As novas regras começariam a valer neste sábado (11/12), mas foram proteladas. Os sistemas do Ministério da Saúde foram alvo de ataque hacker nesta sexta-feira (10/12), o que impossibilita a emissão do comprovante de vacinação contra a Covid-19.

“Estive na Casa Civil e a gente vai postergar a vigência da portaria que trata das fronteiras, aqueles itens que falam sobre apresentação do certificado de vacinação ou, em caso contrário, o cumprimento da quarentena”, explicou Rodrigo Cruz, secretário-executivo do Ministério da Saúde.

Segundo Cruz, o DataSUS ainda avalia a questão de restabelecimento da base de dados. “Ainda não temos um prazo concreto. Mas, por precaução, a gente vai publicar uma portaria hoje, postergando por sete dias o início da vigência das regras que iniciariam amanhã, sábado. Então, passarão a valer no próximo sábado”, disse o secretário.

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, aventou a possibilidade minutos antes. “Por conta da questão dos que têm vacina, eles precisam comprovar a vacinação para não ficar em quarentena. Então, é possível que se postergue a exigência desta portaria que foi editada pelo Ministério da Saúde. Vê como faz mal, né, uma atitude criminosa dessa”, admitiu Queiroga, em viagem a Belo Horizonte.

De acordo com o texto da portaria, turistas devem apresentar exame PCR com resultado negativo para Covid-19 e comprovante de vacinação dos imunizantes aprovados pela Agência Nacional de Saúde (ANS) ou pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Caso o viajante brasileiro ou estrangeiro não seja vacinado, deverá fazer quarentena de cinco dias antes de seguir viagem pelo país.

O ministro também afirmou, anteriormente, que o responsável pelo ataque “será exemplarmente punido“. “Hoje, o empenho total é para esses dados estarem disponíveis no mais curto prazo possível. Está sendo investigado, e assim que tiver alguém culpado será exemplarmente punido”, frisou.

Ataque hacker

O ataque hacker aos sistemas do Ministério da Saúde, que começou na madrugada desta sexta-feira (10/12), teria “sequestrado” cerca de 50 terabytes de dados relacionados à pasta. O Lapsus$ Group assumiu a autoria da invasão, de acordo com mensagem deixada no site.

O Gabinete de Segurança Institucional (GSI) e a Polícia Federal (PF) foram acionados e investigam o ataque. O departamento de informática do Datasus trabalha para o restabelecimento dos serviços, segundo nota do ministério.

O que foi afetado: e-SUS Notifica (sistema de notificação de casos de Covid), Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunização (SI-PNI), ConecteSUS e funcionalidades, como a emissão do Certificado Nacional de Vacinação Covid-19 e da Carteira Nacional de Vacinação Digital, que estão indisponíveis no momento.

Metrópoles