Família aguarda chegada de corpo de cearense que morreu em acidente com carreta em Uberlândia, em Minas Gerais

Família aguarda chegada de corpo de cearense que morreu em acidente com carreta em Uberlândia, em Minas Gerais

 

A família do cearense Cássio Rodrigues da Costa, de 26 anos, que morreu em um acidente com uma carreta no domingo (19) na cidade de Uberlândia, em Minas Gerais, aguarda a chegada do corpo do jovem a Fortaleza. A previsão, conforme a irmã dele, Alice Rodrigues, é que o voo chegue à capital cearense entre 22h e 0h.

O enterro ocorrerá na manhã de quarta-feira (22), no Cemitério São João Batista, no Centro de Fortaleza.

Cássio Rodrigues morreu em um acidente de trânsito na Avenida Rondon Pacheco, em Uberlândia. Ele era o passageiro de uma caminhonete, cujo motorista bateu na traseira de uma carreta estacionada na via. Após o acidente, o condutor do caminhão fugiu, mas já foi identificado pela Polícia Civil.

Alice Rodrigues afirmou ao g1 que o suspeito de ter provocado o acidente era amigo de Cássio e é considerado foragido pelas autoridades policiais. A suspeita dos investigadores é de que o motorista dirigia a carreta embriagado.

Conforme a apuração policial, o condutor trabalhava no mesmo bar que a vítima. Ele também não era dono da caminhonete envolvida no acidente. A identidade do suspeito não foi revelada.

Segundo a irmã da vítima, Cássio havia ido trabalhar na cidade de Uberlândia há apenas seis meses. Inicialmente, ele começou as atividades em um restaurante e, como os clientes gostavam da sua simpatia, foi promovido para trabalhar em um bar conhecido da região.

"Ele estava num restaurante, depois foi promovido para um bar porque os clientes gostavam muito dele. Ele já foi pra lá com a proposta de emprego garantida, morava com um primo que depois veio embora. Então, ele alugou uma casa e estava construindo a vidinha dele", relata Alice.

Segundo ela, Cássio namorava com uma mulher natural da cidade mineira. A venda dos bens que ele adquiriu está sendo administrada pela companheira para que fosse resolvida.

Acidente

O tenente da Polícia Militar de Minas Leonardo Rodrigues do Santos afirmou que "segundo testemunhas, o condutor da caminhonete vinha em alta velocidade quando de repente observou a placa de sinalização, tentou fazer uma manobra, perdeu o controle da direção e veio a colidir com a carreta".

Segundo ele, testemunhas relataram que o motorista estava visivelmente embriagado e saiu do automóvel com uma garrafa de bebida alcoólica na mão. Dentro da caminhonete, os policiais encontraram uma substância análoga à maconha.

O condutor pode responder por homicídio com dolo eventual — quando a pessoa assume o risco de matar — e por estar possivelmente embriagado e ter feito o uso de entorpecentes.

G1 CE