Motorista do caminhão teria facilitado roubo de carga de cosméticos

Motorista do caminhão teria facilitado roubo de carga de cosméticos

 

O caso de um roubo de carga de produtos de cosméticos na quarta-feira, 8, na BR-116, que causou um prejuízo de R$ 40 mil, foi elucidado pela Polícia Civil. As investigações apontaram para o envolvimento do motorista do caminhão, que teria fornecido a rota e fingido ser vítima na ação criminosa. Quatro pessoas foram presas em flagrante, e o material roubado foi recuperado. As informações foram divulgadas nesta segunda, 13, pelo delegado Pedro Viana, titular da Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos e Cargas (DRFVC). 

O caminhão foi interceptado no km 10 da BR-116, em Messejana. Os levantamentos, por meio de câmeras de segurança, identificaram que dois veículos foram utilizados na ação. Um homem chamado Raphael Silva Feliciano foi preso no dia seguinte ao crime com um dos automóveis. Ele é apontado pela Polícia Civil como um dos motoristas do automóvel usado na fuga.

No interrogatório, Raphael relatou aos policiais que havia emprestado o carro a outro homem. No mesmo dia, provavelmente após serem informados da prisão de Raphael, criminosos abandonaram o caminhão na Paupina, no começo da noite, sem a carga.

Na última sexta-feira, 10, foram presos mais três indivíduos, sendo um deles identificado como Jackson Ferreira Rodrigues, de 39 anos, encontrado no Pecém. Jackson era vendedor de cosméticos e tem antecedentes por apropriação indébita e lesão corporal no âmbito de violência doméstica e familiar. A carga estava com ele no Pecém, em São Gonçalo do Amarante, e foi recuperada.

Ainda foi preso Sérgio Fabião Muniz de Sousa, 28 anos, no bairro Antônio Bezerra. Ele teria mantido os reféns no carro. Com ele, a Polícia encontrou um simulacro de arma de fogo, que foi usado na ação.

Com a prisão de Jackson, a Polícia identificou o envolvimento do motorista do caminhão, Márcio Cavalcante Assunção, de 43 anos. Ele afirmou à Polícia que foi cooptado por Jackson para participar da ação e recebeu R$ 1 mil para informar a rota do caminhão e facilitar o crime. Márcio estaria fazendo entregas para Jackson e, há aproximadamente um mês, seria alvo das investidas dele, que o oferecia o dinheiro para relatar a rota. Márcio tinha um ajudante no caminhão e teria fingido que também foi rendido.

De acordo com o delegado Pedro Viana, as equipes da Polícia Civil já desconfiavam do envolvimento do motorista, mas a apreensão de um simulacro mostrou que os criminosos não tiveram a preocupação de usar uma arma de fogo real, pois tudo era combinado.

Durante as buscas, os policiais, com autorização dos suspeitos presos, identificaram conversas nos aparelhos celulares que mostram o motorista afirmando que a Polícia havia mostrado fotos deles, mas ele disse que não os conhecia. Durante o trabalho da PCCE, ele teria continuado mantendo contato com a organização.

Ainda há, pelo menos, mais duas pessoas investigadas por envolvimento na ação, que não foram detidas, incluindo um adolescente. O grupo será investigado pelo envolvimento em outros roubos relacionados. Os quatro detidos passaram por audiência de custódia e tiveram as prisões em flagrante convertidas em prisão preventiva. 

O povo