Rio tem o primeiro caso suspeito da variante Ômicron, diz secretário

Rio tem o primeiro caso suspeito da variante Ômicron, diz secretário

 

A cidade do Rio de Janeiro investiga um possível caso de infecção pela variante Ômicron, da Covid-19. Segundo o secretário municipal de Saúde do Rio, Daniel Soranz, a paciente é uma moradora do Flamengo, na zona sul, que chegou da África do Sul no último dia 21 de novembro. Este é o único caso suspeito até o momento na capital fluminense.

Ao Metrópoles, o secretário confirmou que a mulher, que completou o plano de imunização, chegou dia 21, testou negativo ao chegar no Rio (ela fez escalas na Etiópia e em São Paulo). No entanto, por iniciativa própria, ela refez o exame no dia 29/11, quando positivou para a Covid-19.

“Refizemos o teste no dia seguinte e coletamos amostras, enviadas à Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), para que seja feita a genotipagem do vírus, identificando a variante”, explica o secretário.

Ainda de acordo com o secretário, parentes e pessoas que tiveram contato com a paciente serão monitorados pelos próximos 15 dias. Entre eles está o marido da carioca, seu companheiro de viagem e que testou negativo.

“Das pessoas que tiveram contato com ela, todas testaram negativo e seguirão monitoradas. Ela é uma viajante saudável, assintomática, mas que gerou alerta por ter passado pelos locais onde esteve na viagem e ter testado positivo. Por isso, o Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs) seguirá acompanhando o caso”, completa Soranz.

Busca ativa para vacinação

O caso suspeito não altera os planos da cidade para o Réveillon e Carnaval, que seguem sendo organizados e deverão acontecer caso a situação epidemiológica da cidade permaneça favorável.

“Não temos nenhum caso grave da doença registrado, temos uma das maiores coberturas vacinais do país e seguimos intensificando a aplicação da vacina, com busca ativa pelos atrasados. Vamos monitorar os indicadores diariamente para que as festas sejam realizadas com segurança”, conclui.

O secretário enfatiza a importância da vacinação neste momento e que há uma preocupação, também, com o surto de gripe que avança na cidade, um mês após liberação do uso de máscaras. “Está tendo um surto de influenza no Rio de Janeiro e precisamos conter este avanço. Para a gripe, nossa cobertura não é satisfatória e, por isso, peço para que a população se vacine”, reforça o secretário.

Metrópoles