Especialistas avaliam o retorno das aulas de educação Infantil em Santa Quitéria

Especialistas avaliam o retorno das aulas de educação Infantil em Santa Quitéria

Os anos 2020 e 2021, foram, claramente, os mais desafiadores para educação infantil, devido a pandemia do Covid - 19. As aulas presenciais servem como um processo de socialização das crianças com a sociedade. Além disso, para boa parte das crianças a escola em muitos casos se torna uma segunda casa para elas.

Com isso, o retorno das aulas presenciais e a volta dos alunos a sala de aula traz algumas inseguranças. No município de Santa Quitéria, segundo a psicopedagoga da rede municipal de ensino Antônia Laureano, foram utilizadas variadas metodologias com as crianças, os professores foram instruídos a terem um olhar mais cuidadoso e individualizado, pois a falta de socialização afeta o aprendizado dos alunos. Dessa forma, o município agiu através uma série de estratégias para a integração das crianças.

“Aulas interativas, dinâmicas de socialização, respeitando os limites das crianças, sem fazer cobranças exageradas ou obrigando-as a participarem, quando estas não querem, pois isso pode causar ansiedades e até aversão aos estudos, deverão potencializar o vínculo professor x aluno, autoestima e motivação, mostrando que elas podem confiar nele e que ali elas serão bem acolhidas”, afirma a profissional.

Outro ponto importante e desafiador para a volta as aulas é manter o distanciamento social dentro da sala de aula e ao mesmo tempo fazer toda integração das crianças através de atividades. De acordo com Ravenna Lima, psicóloga do colégio da rede privada Dom Bosco, o principal desafio foi manter o cuidado em relação as medidas de segurança sanitária.

“Porém, desde o início as crianças e os adolescentes obedeceram muito bem as recomendações/orientações de biosegurança. Os profissionais da escola sempre estiveram muito vigilantes”, declara a Psicóloga.

A perda de familiares devido ao vírus do Covid - 19, também pode ser um dos desafios ao retorno da criança as salas de aula. “Em relação as crianças que tiveram perdas próximas devido a Covid-19, os profissionais sempre se mantiveram atentos a quaisquer sinais de alerta e encaminhavam ao Serviço de Psicologia sempre que necessário. Além disso, foi mantido contato com as famílias sempre que algum aluno manifestava demandas socioemocionais”, conclui Ravenna.

O retorno das aulas 100% presenciais foi autorizado em outubro pelo o Governador do Estado do Ceará Camilo Santana (PT), para os alunos matriculados na Rede Pública. O plano de retorno utilizado pelo o chefe de estado, foi dividido em três fases e os alunos do Infantil I e II, fizeram parte da segunda fase juntamente com os alunos de 3º, 4º e 5º.