Mulher é internada após ser picada por aranha

Mulher é internada após ser picada por aranha

 

Uma mulher foi internada no Hospital Teresa de Lisieux, em Salvador, após de ter sido picada por uma aranha, dentro de casa no bairro da Federação. O caso ocorreu durante a madrugada de sábado (1), na Rua 11 de Agosto, e moradores relatam casos semelhantes há pelo menos três meses na região.

A vítima foi identificada como Ana Beatriz Santos e permanece na unidade para tratar as dores, febre alta e inflamação abdominal provocada após o acidente. Ela comentou que foi picada na perna e, desde então, também não consegue andar por causa da picada.

“Fui mordida por uma aranha tipo marrom, na madrugada de sábado para domingo. Desde então estou aqui internada porque o veneno percorreu minha corrente sanguínea e deu inflamação no meu abdômen e na perna. Ela me picou na perna, na coxa. Não estou conseguindo andar ainda. Sinto muitas dores, e estou tendo febre, dores de cabeça, entre outras dores”, comentou.

De acordo com o coordenador do Centro de Informação e Assistência Toxicológica da Bahia (Ciatox), Jucelino Nery, em casos de acidente com o animal, é recomendável que seja feita uma fotografia da aranha para um melhor direcionamento dos profissionais de saúde.

Ele destacou que o caso específico de Ana Beatriz não se trata da aranha-marrom e diz que uma infecção secundária pode ter agravado o caso.

“É importante ressaltar que nem toda aranha de cor marrom é a aranha-marrom de importância clínica. O que provavelmente ocorreu ali foi infecção secundária. O quadro que ela está apresentando provavelmente não é em decorrência do envenenamento", explicou.

Segundo o especialista, infecção secundária é a entrada de bactéria no local da picada por alguma coisa que foi passada no local ou bactéria da própria pele.

Nery comentou que as aranhas mais comuns e que oferecem mais risco à população em Salvador são as espécies Marrom e Armadeira. No entanto, acidentes não são tão comuns dentro de casa.

“É pouco frequente o número de acidente, principalmente no ambiente doméstico, mas pode ocorrer. O habitat delas é em árvores, jardins, mas dentro do ambiente doméstico não é frequente”, comentou.

Em imóveis, os animais se escondem principalmente nos cantos de parede, atrás de móveis, debaixo de móveis, além também de buscar morada debaixo de cascas de árvores, debaixo de telhas e locais geralmente escuros.

Na Bahia, 749 notificações de picadas de aranha foram registradas em todo o estado em 2021. Em casos de acidente com aranha, a população pode procurar as Unidades de Saúde ou o próprio Ciatox. O centro fica localizado no Hospital Geral Roberto Santos, no bairro do Cabula, em Salvador.

G1