Bolsonaro é alvo de ação no STF por chamar nordestinos de pau de arara

 

O advogado pernambucano João Arnaldo Novaes, pré-candidato ao governo do estado pelo PSol, entrou, nesta segunda-feira (7/2), com notícia-crime no Supremo Tribunal Federal (STF) contra o presidente Jair Bolsonaro (PL) por causa de declarações sobre os nordestinos durante a live semanal, na última quinta-feira (3/2).

A ação pede que o conteúdo cujo presidente chama nordestinos de “pau de arara” seja removido.

Na mesma ação, o autor destaca a reincidência de Bolsonaro, ao recordar ofensas feitas contra governadores nordestinos, chamados de “paraíbas”, durante vazamento de áudio de uma transmissão ao vivo em julho de 2019.

A ação ocorre um dia antes de Bolsonaro iniciar uma tour pelo Nordeste visando diminuir a rejeição na região. O mandatário desembarca, nesta terça-feira (8/2), em Salgueiro, no sertão de Pernambuco. Ele passa ainda por Ceará e Rio Grande do Norte e avalia ida à Paraíba.

O chefe do Executivo federal usou a expressão durante a live semanal da última quinta-feira. Ao falar sobre a revogação de decretos de luto oficial, Bolsonaro errou o local de nascimento de Padre Cícero, religioso venerado no Nordeste, e, ao comentar com assessores, os chamou de “pau de arara”, expressão considerada pejorativa.

“Falaram que eu revoguei o luto de Padre Cícero. Lá do Pernambuco, é isso mesmo? Que cidade fica lá? Cheio de pau de arara aqui e não sabem em que cidade fica Padre Cícero, pô? Juazeiro do Norte, parabéns aí. Ceará, desculpa aí”, disse o presidente.

Padre Cícero (1844-1934), na verdade, nasceu no Ceará e, entre os decretos revogados por ele, não consta do sacerdote.

Metrópoles

Postagem Anterior Próxima Postagem