Em meio à alta dos combustíveis, Lula defende 'abrasileirar' o preço da gasolina

 

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou nesta quinta-feira (17) que, se for eleito neste ano, vai “abrasileirar” o preço da gasolina.

Atualmente, o valor do combustível é calculado em dólar e o petróleo segue a cotação internacional. Isso significa que a valorização do barril de petróleo no mercado internacional e/ou da moeda norte-americana acabam gerando reajustes nos preços dentro do Brasil.

“Eu quero dizer em alto e bom som. Eu sei que o mercado fica nervoso quando eu falo, mas eu quero que eles pensem o seguinte: nós vamos abrasileirar o preço da gasolina. O preço vai ser brasileiro, porque os investimentos são feitos em reais. A gente vai tirar gasolina, vai aumentar a capacidade de refino”, disse o ex-presidente durante entrevista à rádio Progresso, do Ceará.

“Nós temos que fazer mais refinarias, porque hoje as nossas refinarias foram vendidas, estão algumas para ser privatizadas. O Brasil está refinando 25% de gasolina a menos”, continuou.

A fala do ex-presidente se dá em meio à disparada no preços dos combustíveis registrada nos últimos meses, com reflexos no aumento da inflação no país, o que vem gerando pressões sobre o governo para a adoção de medidas que levem a um barateamento.

Somente em 2021, a Gasolina acumulou alta de 47,49% e foi o item que mais pesou na alta do IPCA, a inflação oficial do país, no ano passado, que ficou em 10,06%.

O presidente Jair Bolsonaro tem demonstrado irritação diante das cobranças por ação do governo para conter o aumento no preço dos combustíveis. Ele alega que não pode interferir na modelagem definida pela Petrobras e que já cortou impostos federais do gás de cozinha, por exemplo.

Durante a entrevista, Lula afirmou ainda que “não tem nenhum sentido” o Brasil adotar cotação internacional para definir o preço dos combustíveis internamente.

“Se o Brasil tivesse que importar petróleo, tudo bem que a gente está importando a preço internacional. O que esses malandros fizeram? Esses malandros estão destruindo a Petrobras, fatia por fatia. Na hora que eles privatizaram a BR [Distribuidora], apareceram nesse país 432 empresas que estão importando gasolina dos Estados Unidos, importando a preço do dólar. E aí o preço é internacional. Aí quem paga é o nosso companheiro com o carro, que tem um caminhão, são os caminheiros brasileiros, são os pobres que têm um carro”, disse Lula na entrevista desta quinta.

Congresso

A declaração de Lula também ocorre em meio às discussões no Congresso de soluções para tentar diminuir o valor dos combustíveis.

Na semana passada, o ex-presidente se reuniu com o senador Jean Paul Prates (PT-RN), relator de dois projetos que trazem medidas para aliviar a alta nos preços dos combustíveis.

A conversa foi acompanhada por outras lideranças do partido, entre as quais a ex-presidente Dilma Rousseff, a presidente da legenda, Gleisi Hoffmann, e o ex-presidente da Petrobras, Sérgio Gabrielli.

Após o encontro, Prates divulgou nota na qual informava que eles "convergiram em torno do aprimoramento dos planos energéticos para o país".

Um dos textos relatados pelo senador petista trata da tributação sobre os combustíveis. O outro, da criação de uma espécie de conta cujos recursos serão usados para amortecer o efeito da variação no valor do petróleo no mercado internacional nos preços dos combustíveis no Brasil.

As propostas estavam previstas para serem analisadas nesta quarta-feira (16) no plenário do Senado, mas, sem acordo entre os congressistas, a votação acabou adiada.

Operação Lava Jato

Sem citar a Operação Lava Jato, Lula disse ainda que “inventaram uma quantidade de mentira sobre a Petrobras”.

A Lava Jato apurou o desvio de contratos da Petrobras para beneficiar políticos e partidos. Lula foi preso e condenado no âmbito da operação pelo então juiz Sergio Moro, hoje pré-candidato à presidência.

As condenações de Lula acabaram anuladas pelo Supremo Tribunal Federal (STF), que apontou parcialidade na atuação de Moro.

“Porque, se tem um diretor da Petrobras roubando, você prende esse diretor, mas deixa a empresa funcionando. Se tem uma empresa que prestava serviço para a Petrobras e ela roubou, manda prender o dono da empresa, mas deixa a empresa trabalhando”, disse o petista.

G1

Postagem Anterior Próxima Postagem