No 5º dia de guerra, Rússia e Ucrânia se reúnem e tentam cessar-fogo

 

Pelo segundo dia consecutivo, Rússia e Ucrânia se reúnem na tentativa de negociar um cessar-fogo. O Leste Europeu vive o quinto dia de bombardeios. A escalada da violência na guerra tem aumentado, atingindo civis e sob o risco do uso de armas nucleares.

Na manhã desta segunda-feira (28/2), representantes dos dois países estão reunidos na fronteira de Belarus e Ucrânia, na região próxima a Chernobyl.

Os presidentes da Rússia, Vladimir Putin, e da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, não participam do encontro. A Ucrânia exigirá um cessar-fogo “imediato”.

A Ucrânia vive o quinto dia de bombardeio. Kiev, capital e coração do poder, e Kharkiv, segunda maior cidade ucraniana, estão sob forte bombardeio.

Belarus também fez ataques à Ucrânia e cedeu a fronteira para a invasão russa. Apesar da investida, o governo bielorrusso garantiu que não terá ação militar durante a reunião.

“Podem se sentir completamente seguros”, declarou o ministro bielorrusso das Relações Exteriores, Vladimir Makei, ao receber as comitivas.

A delegação ucraniana se deslocou em dois helicópteros, conforme relatado pela agência russa Ria Novosti. Na manhã desta segunda-feira, o Ministério das Relações Exteriores da Bielorrússia publicou uma foto da sala para as negociações, anunciando que o local estava preparado.

A delegação russa, chefiada por Vladimir Medinsky, assessor do presidente Vladimir Putin e ex-ministro da Cultura, chegou a Gomel, leste da Bielorrússia, no sábado (26/2).

No domingo (27/2), a tensão foi elevada ao extremo após Putin colocar “forças nucleares em alerta“. Horas depois, um assessor do ministro do Interior da Ucrânia disse que as negociações tinham começado, mesmo sob a ameaça.

Assembleia na ONU

O Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) aprovou uma sessão emergencial da Assembleia Geral da ONU para discutir a punição da Rússia e de seu presidente, Vladimir Putin.

A movimentação político-diplomática é uma represália após uma resolução que exigia a retirada imediata das tropas russas do território ucraniano ser vetada por causa de somente um voto contra que veio justamente da Rússia.

A Assembleia Geral das Nações Unidas conta com 193 membros e não existe direito a veto. A reunião foi marcada para esta segunda-feira.

O encontro visa tomar medidas em casos de ameaça ou violação da paz ou ato de agressão, na eventualidade do Conselho de Segurança ficar impedido de agir devido ao voto negativo de um membro permanente — foi o que aconteceu com o veto da Rússia. Nesses casos, a Assembleia pode analisar o assunto imediatamente e recomendar medidas coletivas para manter ou restaurar a paz e segurança internacionais.

A Rússia e a Ucrânia vivem um embate por causa da possível adesão ucraniana à Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), aliança militar liderada pelos Estados Unidos. Na prática, Moscou vê essa possível adesão como uma ameaça à sua segurança. Os laços entre Rússia, Belarus e Ucrânia existem desde antes da criação da União Soviética (1922-1991).

Ataques

Dezenas de pessoas morreram em um bombardeio intenso na cidade de Kharkiv, no leste da Ucrânia, nesta segunda-feira (28), disse Anton Herashchenko, um assessor do Ministério do Interior do país.

“Kharkiv acabou de ser intensamente atingida por foguetes. Dezenas de mortos e centenas de feridos”, disse ele em uma publicação no Facebook.

Metrópoles

Postagem Anterior Próxima Postagem