PM que matou jovem dentro da Delegacia de Camocim presta depoimento e diz está arrependido: “não era eu”


O policial militar George Tarik de Vasconcelos, acusado de matar o jovem Matheus de Sousa Cruz, 18, dentro da Delegacia Regional de Camocim diz está arrependido ao prestar depoimento.

Segundo o militar, estava na boate Space quando a vítima que conhece apenas por filho do Guê passou esbarrando o interrogando e ainda lhe disse “vai querer embaçar comigo porque é policial?”. Na sequência, continuou andando e a vítima lhe empurrou e ao olhar para trás, desferiu um soco atingindo seu olho esquerdo.

George afirma que logo após se dirigiu para o estacionamento para ir embora, momento em que novamente se depara com Matheus entrando no carro dele e tentou aborda-lo para conduzir às autoridades. Como já estava de posse de sua arma funcional, deu voz de prisão a vítima, mas esta tentou evadir com o veículo, tendo inclusive tirado a chave da ignição do veículo da vítima e mais dois socos foram desferidos no seu rosto, causando lesões corporais e em seguida fugiu a pé, no entanto acabou sendo alcançado por policiais militares.

Matheus foi conduzido para a delegacia e o PM foi no seu carro e enquanto estavam aguardando serem atendidos, estando a vítima em um banco do corredor externo da delegacia, passou por ela duas vezes para ir ao banheiro tendo o encarado e desafiado e em um momento de fúria, levado pela violenta emoção, o interrogando sacou de sua pistola e inadvertidamente disparou diversos tiros contra Matheus.

O interrogando ressalta que além de ser tomado por violenta emoção, estava sob efeito de álcool pois começou a beber meio dia e que o interrogando está muito arrependido de sua conduta pois “não era eu que cometi este crime de homicídio”.

O procedimento de flagrante delito por crime de homicídio capitulado no artigo 121 do Código Penal foi lavrado pelo delegado plantonista e logo em seguida, George foi levado para o quartel da Polícia Militar em Fortaleza onde ficará preso aguardando o pronunciamento da justiça. 
Postagem Anterior Próxima Postagem