Sargento da Polícia mata família, coloca fogo na casa e comete suicídio


Quatro pessoas da mesma família foram mortas no início da noite desta quinta-feira (10/2), em Planaltina, no Distrito Federal. As vítimas – 3 homens e uma mulher – estavam carbonizadas e com marcas de tiros em uma residência situada na Avenida Maranhão, na Quadra 161 do Setor Tradicional.

Segundo informações preliminares do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal (CBMDF), a corporação foi acionada para atuar em um incêndio em edificação, mas todos já estavam sem vida quando os militares chegaram para prestar socorro. De acordo com a Polícia Militar do DF (PMDF), um dos mortos na chacina era sargento da corporação.

O Metrópoles apurou que o sargento da PMDF foi o autor da chacina. Nilson Cosme Batista dos Santos teria matado, a tiros, a esposa e os dois filhos. As vítimas foram identificadas como Maria de Lourdes Furtado, 50 anos; Lucas Furtado dos Santos, 16; e Isaac Furtado dos Santos, 21.

A suspeita é que Nilson tenha colocado fogo na casa. Nessa linha de investigação, supõe-se que, antes de o fogo consumir todo o imóvel, o sargento cometeu suicídio. Um dos corpos estava na sala, atrás da porta, e os outros três, dentro de um quarto.

“Foram três tiros na mulher: um no abdômen, um no pescoço e outro na cabeça. Um dos filhos tinha um tiro na cabeça e, no outro, não deu para identificar, pois estava muito queimado”, relatou um militar que participou da ocorrência.

Conforme apurado pela reportagem, o militar tinha problemas com outros moradores da quadra. “Não falava com ninguém, nunca vi esses filhos dele. Ele era muito fechado, procurava confusão com todo mundo na rua, tem mais de 20 anos que moro aqui e nunca falei com ele”, diz José Tiago Alves, 33 anos, enfermeiro que mora nas redondezas.

Metrópoles
Postagem Anterior Próxima Postagem