Adolescente de 13 anos é expulso após levar granada para escola

Um aluno de 13 anos do Colégio Santa Doroteia levou para a aula uma granada dentro da mochila. O adolescente foi visto com o objeto em sala de aula, nessa terça-feira (22), e acabou expulso da escola, que fica no Sion, região Centro Sul de BH. A Polícia Militar foi acionada até o local e descobriu que a granada estava inoperante.

Segundo os militares, quando chegaram ao local, o coordenador de segurança da instituição informou que alguns alunos presenciaram o estudante manuseando a granada, em uma sala de aula, durante o intervalo. O adolescente foi encaminhado para a coordenação da escola, onde o material foi recolhido e mantido em uma sala de monitoramento, até a chegada dos policiais.

O objeto foi vistoriado e foi concluído que ele estava inoperante. Os responsáveis pelo aluno foram chamados ao colégio, após informação do acontecido e de que o estudante seria suspenso por três dias. Com a autorização do pai, que alegou impossibilidade de ir ao colégio, o adolescente foi liberado. Posteriormente, a escola decidiu pela expulsão dele.

Escola se pronuncia

O Colégio Santa Doroteia afirmou que agiu prontamente quando a situação foi identificada. “Em ato contínuo, os responsáveis legais do aluno foram prontamente comunicados, e, diante da relevância dos fatos e da presença do artefato bélico, foi acionada a Polícia Militar do Estado de Minas Gerais, para que tomasse conhecimento e conduzisse dentro daquilo que era necessário”, informou em comunicado.

“Entendemos que este lamentoso evento seguiu em vértice oposto aos mais caros princípios educativos e práticas pedagógicas adotadas nesta instituição de ensino, bem como, ao incansável compromisso que assumimos dia a dia, para com a guarda e preservação da integridade de nossos alunos, colaboradores e famílias”, acrescentou a instituição.

Em vídeo divulgado pela escola, a diretora Zuleica Reis afirmou que as medidas estão sendo tomadas e fez um apelo para os responsáveis pelas crianças e adolescentes. “Nós já entramos em contato com a família e estamos tomando as devidas providências. É preciso que fiquemos atentos ao que os nossos filhos estão trazendo para a escola”, disse.

Nota do Colégio Santa Doroteia na íntegra:

“No dia 22/03/2022, foi noticiado à coordenação geral que um de nossos alunos estava de posse de um artefato bélico.

Diante desta notícia, a Coordenação Geral prontamente requisitou a presença do aluno, promovendo os esclarecimentos dos fatos para possibilitar o seguimento às medidas cabíveis.

Em ato contínuo, os responsáveis legais do aluno foram prontamente comunicados, e, diante da relevância dos fatos e da presença do artefato bélico, foi acionada a Polícia Militar do Estado de Minas Gerais, para que tomasse conhecimento e conduzisse dentro daquilo que era necessário.

Ressalte-se que, na vistoria presencial da autoridade policial, foi esclarecido que o artefato bélico estava inoperante, sendo lavrado o Boletim de Ocorrência e promovido o recolhimento pelos Policiais Militares.

Entendemos que este lamentoso evento seguiu em vértice oposto aos mais caros princípios educativos e práticas pedagógicas adotadas nesta instituição de ensino, bem como, ao incansável compromisso que assumimos dia a dia, para com a guarda e preservação da integridade de nossos alunos, colaboradores e famílias.

Reafirmamos o compromisso pela manutenção de nossos princípios e garantias fundamentais, pois esses sustentam nossa continuidade há mais de 50 anos neste município.

O Colégio Santa Dorotéia reafirma e confia que segurança é um compromisso de todos.
BHAZ
Postagem Anterior Próxima Postagem