Com mais de quatro décadas, saiba como está o prédio da antiga Teleceará em Santa Quitéria

Foto: Paulo Henrique Feijão

Quem passa pela rua Maria de Lourdes, uma das principais vias do centro de Santa Quitéria, facilmente se depara com um imponente prédio fechado em frente a escola Julia Catunda. Ali, por vários anos, funcionou um símbolo da modernidade a serviço da população, para um tempo em que a tecnologia ainda era distante: a Teleceará.

No ano de 1981, a extinta operadora implantou os sistemas de DDD e DDI no município, funcionando como a única central telefônica pública da cidade, já que ter um telefone fixo era artigo de luxo e quem não dispunha, por muitas vezes foi lá para fazer contatos com familiares, amigos ou resolver negócios. Os funcionários da época ainda são lembrados por muitas pessoas.

Teleceará em maio de 1984 (Foto: Arquivo IBGE)

Com a instalação das linhas fixas e os telefones públicos – “orelhões” –, o prédio foi desativado ainda na década de 90. De lá para cá, a Teleceará foi privatizada e se tornou Telemar, que em 2007, virou Oi. De portas fechadas, é desconhecido pelos quiterienses mais novos do que esteja guardado ou abandonado ali dentro, já que o movimento é limitado apenas as poucas vindas de funcionários.

Ao A Voz de Santa Quitéria, a Oi informou que o imóvel segue em pleno uso pela companhia, abrigando equipamentos de telefonia que atendem a localidade, possuindo serviços de segurança, além de limpeza e manutenção periodicamente executados.

Em tempo
Matéria publicada na quinta-feira (10) mostra a queda vertiginosa no uso de telefones fixos em Santa Quitéria. Em 2020, eram apenas 226 que estavam ativos no município, enquanto os celulares já somam mais de 25 mil, sendo a TIM com maior número de clientes.
Postagem Anterior Próxima Postagem