Confusão iniciada nas redes sociais movimenta Secretaria e vai parar na Polícia em Santa Quitéria


Um desentendimento entre servidores da Prefeitura Municipal de Santa Quitéria, iniciado através de áudios de WhatsApp, acabou indo parar na Delegacia de Polícia Civil nesta quarta-feira (16).  

Os envolvidos no fato são o assessor especial da Secretaria de Planejamento, José Antônio Lobo (Zé Toinho), o ex-vereador Tenório Cavalcante e a sua filha Marina Mourão Lobo. Estes dois últimos, servidores da referida secretaria que é comandada por Maria do Carmo Mourão (Kaká), esposa e mãe respectivamente.

A Voz de Santa Quitéria teve acesso aos áudios que motivaram a situação. Em um áudio de quatro minutos, Zé Toinho fez duras críticas à atuação de Kaká e alegou que a mesma estaria perseguindo a sua irmã que lá trabalha, ao reduzir parte do salário. Num tom mais duro, ele afirma que iria até a pasta tomar satisfação e se a secretária não lhe recebesse, poderia chamar a Polícia pois invadiria a sala.

Amanhã eu tô lá na porta dela, ela não recebe ninguém, só recebe o vereador Eliandro, não sei o porquê, mas se ela não me atender lá, pode chamar a Polícia que eu invado a sala dela. Eu já tô é adiantando, eu invado a sala. {...} E me atenda, não faça o que você faz com os outros não, quem tá dizendo é o Zé Toinho. Pra você ser correta, tem que começar dentro de casa.

Respondendo à irmã de José em outro áudio, Marina também falou de maneira incisiva.

Eu agora estou dando palco pra vocês sim, porque num momento desse, me desculpe as palavras, mas o imbecil do seu irmão não era pra estar fazendo isso não, porque é isso que ele é, um imbecil. E diga a ele que vá, não espere a minha mãe não, diga a ele que vá e fale comigo, porque eu quero que ele faça escândalo é comigo, pra ver se ele num sai preso da Secretaria.


O assessor, então, foi até a Secretaria nesta manhã e na ausência de Kaká, desencadeou uma acalorada discussão com a filha dela. A Polícia foi acionada e os três citados acima foram até a Delegacia para prestar depoimento, onde foi lavrado um boletim de ocorrência.

Nos bastidores da gestão Braguinha, o fato provocou um profundo mal estar entre os aliados e há até quem aponte culpa pelo assunto não ter sido estancado internamente, ao invés de tomar largas proporções como aconteceu.
Postagem Anterior Próxima Postagem