Empresário russo oferece um milhão de dólares pela detenção de Putin: "Vivo ou morto"

 
Um empresário russo residente dos EUA, Alex Konanykhin, ofereceu uma recompensa de um milhão de dólares pela detenção do presidente russo, Vladimir Putin, como “criminoso de guerra”, em consequência  da invasão ao território ucraniano. O texto estava acompanhado de uma foto ao estilo do "Oeste Selvagem", com a frase “Procura-se vivo ou morto“.

“Prometo pagar um milhão de dólares a qualquer agente da polícia que, cumprindo o seu dever constitucional, detenha Vladimir Putin como criminoso de guerra, segundo o direito russo e internacional”, escreveu o empresário na sua conta na rede social Facebook. A publicação, no entanto, foi eliminada pela plataforma.

A retirada foi informada por Konanykhin, ex-banqueiro e antigo membro do círculo político do ex-presidente Boris Yeltsin, em mensagem mais recente, onde volta a repetir o texto, mas sem aquela ilustração. “Como cidadão da etnia russa – como escreveu – vejo como meu dever moral facilitar a desnazificação da Rússia. Continuarei a ajudar a Ucrânia nos seus esforços heroicos para resistir ao assalto da horda de Putin”, afirmou, na sua oferta de recompensa.

“Putin não é o presidente russo, já que chegou ao poder em resultado de uma operação especial de rebentar edifícios de apartamentos na Rússia, depois violou a Constituição ao eliminar as eleições livres e assassinar os seus opositores”, continuou. Konanykhin emigrou para os EUA em meados dos anos 1990.
O povo

Postagem Anterior Próxima Postagem