Entenda como dois pescadores sobreviveram por seis dias à deriva no mar do Ceará sem comer


Os dois pescadores da Praia da Caponga, em Cascavel, que ficaram desaparecidos no mar por seis dias e foram encontrados nesta terça-feira (29), sobreviveram graças à água da chuva. Sem alimentação na embarcação, Raimundo Nonato Alves dos Santos, de 59 anos, e o amigo Francisco Doquinha, 57, esperavam chover para que a água caísse em pratos e, assim, pudessem beber.

A dupla saiu para trabalhar na quinta-feira (24) em uma jangada e deveria ter retornado no sábado (26), como costumeiramente é feito. A embarcação foi avistada pela Praticagem do Ceará a 1,3 milha do Porto de Mucuripe, em Fortaleza. Ambos sobreviveram, mas ficaram debilitados e precisaram ser levados a unidades de saúde.

"Saí quinta-feira, quando deu 18h, eu naufraguei. Passei os três dias dentro da embarcação direto, levando sol e chuva. Não tinha comida, aí passei três dias sem comer. A água que nós bebia era da chuva. A gente botava um pratozinho e começava a aparar", disse Raimundo Nonato.

O pescador afirmou que já havia se perdido no mar antes, mas nunca como neste caso. "Eu estava pedindo a Deus que nos salvasse o tempo todo. Eu passei mal lá no mar, mas meu amigo estava pior do que eu, o meu compadre."

Segundo Raimundo Nonato, cinco embarcações passaram pela jangada deles, mas não conseguiram avistá-los devido ao tempo, com chuva e névoa. Cerca das 15h da terça-feira (29), os dois foram vistos, e uma embarcação foi enviada para salvá-los.

"Quando cheguei, não estava conseguindo andar. Fui para uma UPA, tiraram minha pressão e estava tudo normal. Aí vim pra casa", explica o pescador. Conforme ele, o compadre e dono da embarcação também já está em casa e não corre riscos de saúde.

Salvamento

A Marinha do Brasil informou que tomou conhecimento, na noite desta segunda-feira (28), do atraso no regresso da embarcação de pesca "Danaina", que teria saído da Praia da Caponga, no município de Cascavel, com dois tripulantes.

Com isto, o órgão iniciou uma Operação de Busca e Salvamento, coordenada pelo Salvamar Nordeste, que está empregando o Navio-Patrulha "Guaíba" e equipes da Capitania dos Portos do Ceará (CPCE).

A Marinha também emitiu um aviso aos navegantes e realizou contato com a comunidade marítima, para ampliar a divulgação sobre o ocorrido e alertar todas as embarcações que estivessem navegando em áreas próximas ao desaparecimento para apoiar nas buscas.

Às 15h, desta terça, a Lancha "Flexeiras", da Praticagem do Ceará, avistou a embarcação a uma distância de 1,3 milha do Porto de Mucuripe, em Fortaleza, prestando o socorro e encontrando os náufragos com vida.
G1 CE
Postagem Anterior Próxima Postagem