Milton Ribeiro pede demissão do cargo de ministro da Educação: “coração partido”


Nesta segunda-feira (28), o ministro da Educação, Milton Ribeiro, entregou pedido de exoneração ao presidente Jair Bolsonaro (PL). Um suposto favorecimento de pastores evangélicos na distribuição de verbas do ministério seria um dos motivos. O agora ex-ministro nega as acusações.

Ribeiro se defende, na carta em que pede exoneração do cargo, afirmando que “jamais realizou um único ato de gestão na pasta que não fosse pautado pela correção, pela probidade e pelo compromisso com o erário” e que pediu para deixar o cargo para que “não paire nenhuma incerteza sobre a minha conduta e a do Governo Federal”.

“Tomo esta iniciativa com o coração partido, de um inocente que quer mostrar a todo o custo a verdade das coisas, porém que sabe que a verdade requer tempo. Sei de minha responsabilidade política, que muito se difere da jurídica”, continua Milton.

Interinamente, ficará no posto como ministro o atual secretário-executivo Victor Godoy Veiga.

GC Mais
Postagem Anterior Próxima Postagem