Ministra diz que Bolsonaro passou mal “porque ele trabalha muito”

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, disse nesta terça-feira (29/3) que o presidente Jair Bolsonaro (PL) passou mal no dia anterior “porque ele trabalha muito”.

O chefe do Executivo federal passou a noite no Hospital das Forças Armadas (HFA), em Brasília, após se sentir mal na segunda-feira (28/3). Ele teve desconforto na região abdominal, recebeu atendimento inicial de médicos da equipe presidencial e, logo depois, foi levado ao hospital militar para realizar exames.

Mesmo após a internação, Bolsonaro viajou a Ponta Porã, no Mato Grosso do Sul, para entregar títulos de propriedade rural ao lado da ministra Tereza Cristina.

“O presidente, ontem, não se sentiu bem, porque ele trabalha muito. E mesmo assim ele saiu do hospital, e quando eu liguei ontem à noite, preocupada, porque vi na imprensa nacional que o presidente tinha ido para o hospital, eu falei: ‘Ai meu deus. Amanhã nós não vamos ter Mato Grosso do Sul. Tem uma bela festa lá esperando'”, afirmou Tereza.

“E eu sabia da vontade dele de estar aqui. Mas eu liguei para o Célio [Faria Júnior, assessor pessoal do presidente] e o Celio falou: ‘Não. Está tudo bem. Tudo mantido. Amanhã de manhã ele vai’. O médico acho que não sabe, mas ele [Bolsonaro] está aqui”, acrescentou.

Em seu discurso, o presidente disse que era uma satisfação estar na região de Mato Grosso do Sul e que apesar de ter tido uma noite “mal dormida”, terá um dia “bem ativo” em Ponta Porã.

As suspeitas dos médicos eram de novo quadro de obstrução intestinal, que já o acometeu em outras ocasiões por causa da facada que recebeu em 2018. Ainda não foi divulgada nota oficial sobre o estado de saúde do presidente, mas o ministro das Comunicações, Fábio Faria, que confirmou a alta, disse que Bolsonaro está “super bem”.

Bolsonaro deixou o hospital por volta das 6h30 e o comboio presidencial se dirigiu à residência oficial, o Palácio da Alvorada. Antes das 9h, o presidente se dirigiu à Base Aérea de Brasília para a agenda em Mato Grosso do Sul.

Seis cirurgias

Desde que sofreu um atentado a faca na campanha eleitoral de 2018, Bolsonaro foi submetido a seis cirurgias. Duas delas não tiveram relação com a facada: uma vasectomia e uma retirada de cálculo na bexiga.

Em janeiro deste ano, Bolsonaro divulgou uma foto com sonda nasogástrica após ser internado no Hospital Vila Nova Star, em São Paulo. Na ocasião, o presidente interrompeu as férias no litoral catarinense e deu entrada no hospital na capital paulista, onde já ficou internado em outras ocasiões.

Após alguns dias de internação, ele recebeu alta hospitalar sem a necessidade de procedimento cirúrgico.
Metrópoles


Postagem Anterior Próxima Postagem