Mulher corre com roupa em chamas após companheiro atear fogo nela por tentar impedi-lo de sair para beber


Uma mulher, que não teve a identidade divulgada, ficou com parte do corpo queimado após o companheiro atear fogo a ela, segundo a Polícia Civil. A situação aconteceu em Goiânia e câmeras de monitoramento registraram quando a vítima correu pelo corredor da casa tentando se livrar de camiseta em chamas.

Os registros do crime são da madrugada de sábado (19). Segundo a Polícia Civil, o homem foi preso e confessou que ateou fogo á companheira por ela ter tentado impedi-lo de sair para beber. O nome do homem não foi divulgado, por isso o g1 não conseguiu descobrir quem representa a defesa dele para pedir uma posição sobre o caso.

A mulher foi socorrida pelo Corpo de Bombeiros e, segundo o Hospital de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol) confirmou à TV Anhanguera, está internada na unidade de saúde em estado regular, consciente e respirando sem ajuda de aparelhos.

Na noite desta terça-feira (22), um atendente do Hugol informou que a paciente passou por uma cirurgia durante a manhã e estava se recuperando em um leito. O vídeo mostra o corredor escuro da casa, indicando que era madrugada de sábado, por volta das 2h, quando a mulher aparece correndo e tirando uma roupa em chamas. Quando ela consegue jogar o tecido para longe, ela para e abraça o filho, aparentando desespero. Em seguida, um homem surge e apaga as chamas com o pé.

A delegada Cássia Sertão, responsável pela investigação, disse que o companheiro da vítima foi preso e confessou ter queimado a mulher. “O crime choca pela crueldade e motivo fútil. […] Ele jogou álcool nela, enquanto ela estava deitada e ateou fogo, tendo atingido especialmente as partes íntimas da vitima”, disse a delegada.

Segundo Cássia, a vítima deve ser ouvida assim que estiver em condições de falar sobre o episódio. A delegada também deve chamar algumas testemunhas para prestar depoimento e fechar o inquérito. A princípio, o homem deve responder pelo crime de tentativa de feminicídio, podendo ter o caso agravado por ter cometido a violência na frente da criança, filha da mulher.

Assista o vídeo:


Portal G1
Postagem Anterior Próxima Postagem