Operação em Hidrolândia: MP aponta que cunhado da prefeita Iris usou funcionário como laranja em licitação


O Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) divulgou detalhes na tarde desta terça-feira (22), sobre a operação Laranja Mecânica, deflagrada hoje cedo pela Procuradoria dos Crimes contra a Administração Pública (PROCAP) na cidade de Hidrolândia. Foram cumpridos 21 mandados de busca e apreensão autorizados pelo Tribunal de Justiça do Estado do Ceará em Hidrolândia, Fortaleza, Santa Quitéria e Sobral, como continuidade à operação Ad Continuum, ocorrida em setembro do ano passado.

Conforme antecipado pelo A Voz de Santa Quitéria, o Paço Municipal e a casa da prefeita Iris Martins foram alguns dos locais onde as ordens judiciais foram cumpridas, além de empresas locais e residências de empresários, servidores públicos, secretários e ex-secretários municipais. Um dos gestores investigados é Luiz Gonzaga Timbó, que atualmente ocupa a pasta da Administração.

Os promotores e policiais apreenderam documentos, celulares e R$ 92.896,00 em espécie, além de duas espingardas, um rifle e uma pistola não registrados que também estavam na residência da prefeita.


Investigação
O procedimento investigatório apura a utilização de identidades “laranjas” por parentes da prefeita para a realização de contratações no Município de Hidrolândia. A investigação apontou que uma das empresas envolvidas, nomeada de Jairo Luiz Gomes Martins-ME, criada logo após as eleições municipais em 2016, pertence, na realidade, a Antônio Arnóbio Protasio, cunhado de Iris. A apuração também revelou que a identidade utilizada como “laranja” se trata, na verdade, da de um funcionário da empresa Auto Peças São José, comandada por Arnóbio Protásio.

No ano de 2017, essa empresa venceu uma licitação no valor de R$1.567.849,00, cuja quantia está sendo investigada. O objeto do procedimento licitatório foi a aquisição de pneus e acessórios de fabricação nacional destinados a atender as demandas das frotas de veículos do município.

A Operação
Denominada “Laranja Mecânica”, a operação faz alusão ao livro homônimo do escritor inglês Anthony Burgess, no qual o protagonista, Alex DeLarge, é submetido a um experimento científico que objetivava reprimir impulsos psicológicos que resultavam no cometimento de crimes. Tais instintos aludem aos componentes automotivos, objetos das licitações sob investigação.

Veja vídeo na casa da prefeita Iris

Postagem Anterior Próxima Postagem