Pais e alunos da escola profissional de Santa Quitéria reclamam da alimentação escolar precária


Alunos e pais da EEEP Monsenhor Luís Ximenes Freire, de Santa Quitéria, procuraram o A Voz de Santa Quitéria para manifestar queixas em relação as refeições que estão sendo servidas diariamente aos adolescentes. A qualidade das merendas tem sido bastante inferior ao que é regularmente oferecida e tem se tornado recorrente nos últimos dias.

Por temerem represálias da direção escolar, as identidades não serão reveladas. Os relatos dão conta de que passaram mal ou chegaram a contrair infecção intestinal ao ingerirem o almoço e em alguns casos, os estudantes estão se recusando a comer ao verem a precariedade e ao saírem da escola, por volta das 16h40, vão tentar se alimentar.

Leia também

Para parte dos alunos que moram na zona rural, aquela é a única refeição do dia e a mais esperada, sem contar o quanto isto afeta no rendimento daqueles jovens em sala de aula. As reclamações não param por aí: itens teriam sido encontrados dentro da comida, como um clipe dentro de um prato e um pedaço de plástico num copo de suco, sem o devido manuseio.

O fato foi levado ao conhecimento da Escola durante uma reunião de pais na semana passada, mas nenhuma providência foi tomada até então.

A Voz de Santa Quitéria procurou a Secretaria de Educação do Estado (SEDUC) para comentar sobre o assunto. Em nota, afirmou que já adotou providências e que a empresa foi acionada para prestar esclarecimentos. "Haverá uma visita à unidade de ensino com a participação de técnicos da área de alimentação escolar, da empresa e da escola para apurar o ocorrido. A Seduc fará os ajustes necessários para fortalecer a garantia da qualidade da alimentação aos estudantes", completa.
Postagem Anterior Próxima Postagem