Vacinação contra gripe vai excluir crianças de cinco anos da campanha em 2022, admite ministério


O Ministério da Saúde excluiu as crianças com mais de cinco anos dos grupos prioritários da campanha de vacinação contra a gripe, que começa no dia 4 de abril. Agora, as doses serão aplicadas apenas em crianças de seis meses a quatro anos e onze meses de idade. Em 2021, crianças com até cinco anos e onze meses tiveram direito à vacina.

O g1 questionou o ministério sobre a decisão, mas a pasta não explicou o motivo (veja a nota abaixo). Na terça-feira (15), a CBN apurou que a mudança foi motivo de divergência em reunião da câmara técnica que assessora o Ministério da Saúde. Segundo a CBN, o governo federal chegou a alegar que precisava reduzir o público-alvo da campanha pelo risco de faltar seringas.

A campanha de vacinação contra a gripe começa no dia 4 de abril e vai até 3 de junho. Serão distribuídas 80 milhões de doses contra a Influenza, com a meta de vacinação de 79,7 milhões de pessoas dos grupos prioritários.

A primeira etapa, que vai até o dia 2 de maio, dará prioridade para os idosos com mais de 60 anos e trabalhadores da saúde. A segunda etapa, que começa até 3 de maio, contemplará crianças menores de 5 anos, grávidas, puérperas, professores, indígenas, professores, pessoas com deficiência e comorbidades, trabalhadores de transporte coletivo e caminhoneiros, forças de segurança, trabalhadores portuários, funcionários do sistema prisional e população privada de liberdade.

Veja nota do Ministério da Saúde
O Ministério da Saúde informa que, em virtude da transmissão sustentada de casos de sarampo no país, a Campanha Nacional contra o Sarampo ocorrerá simultaneamente com a Campanha Nacional contra a Influenza, neste ano. A medida tem como objetivo oportunizar a vacinação contra as duas doenças e ampliar a cobertura vacinal.

Ambas as campanhas serão focadas em crianças de seis meses a menores de cinco anos de idade, visando otimizar questões operacionais e logísticas dos serviços de vacinação nos estados e municípios e reduzir o risco de complicações e óbitos para a influenza nesta faixa etária.

Portal G1
Postagem Anterior Próxima Postagem