Adolescente foi morto em centro socioeducativo após contar a outros internos como matou motorista de app, no Ceará


O adolescente de 14 anos morto em um centro socioeducativo em Fortaleza, foi vítima de outros internos após contar para eles como matou um motorista de aplicativo em novembro de 2020, em Caucaia, na Região Metropolitana. O caso aconteceu no Centro Socioeducativo Canindezinho, no Bairro Siqueira, neste domingo (24). O jovem respondia a um ato infracional análogo ao crime de latrocínio, pela morte do motorista de aplicativo José Hilker Assunção de Sousa, de 28 anos, que teve 95% do corpo queimado.

Conforme o juiz da 5ª Vara da Criança e do Adolescente, Manuel Clístenes, após cometer atos de indisciplina dentro do centro socioeducativo, o adolescente precisou ser remanejado para uma ala intermediária. Foi lá que ao ser interrogado pelos colegas de quarto sobre o motivo de estar ali ele acabou falando com detalhes sobre como havia participado da morte de José Hilker.

"Os companheiros de dormitório ficaram indignados com a crueldade praticada pelo adolescente contra o motorista de aplicativo. Esperaram ele ficar em uma posição que não pudesse se defender e usaram lençóis para primeiro amarrar o pescoço dele e, em seguida, desmontaram um aparelho de barbear para usar as lâminas do objeto e ferir a vítima em várias parte do corpo, inclusive no pescoço", revela. Clístenes informou ainda que após o ato os próprios internos acionaram os socioeducadores para que providenciassem a retirada do corpo do adolescente do dormitório.

A Superintendência do Sistema Estadual de Atendimento Socioeducativo (Seas) informou que a morte do adolescente, que era interno da unidade, aconteceu por volta das 21h do dia 24 de abril. A vítima estava em um dos alojamentos com outros três internos.

Após a morte do jovem, coordenadores de segurança e de gestão compareceram à unidade, realizaram relatórios e encaminharam a comunicação ao Sistema de Justiça do Estado. A Seas informou que a Assessoria de Diretrizes Socioeducativas e a Equipe Técnica estão prestando apoio à família do adolescente. A Corregedoria já apura as causas do ocorrido, disse o órgão em nota.

Adolescentes transferidos
Os três adolescentes envolvidos na morte do jovem de 14 anos foram transferidos do centro socioeducativo. Antes, eles foram encaminhados para a Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA) para o registro do ato infracional semelhante a homicídio. Não foi informado o novo local para onde os jovens foram levados. O trio já possuía atos infracionais análogos aos crimes de homicídio, tráfico de drogas e roubo. Outros dois adolescentes que seriam parentes do jovem morto também foram remanejados do centro por questões de segurança, conforme o juiz Manuel Clístenes.

Entenda o caso

José Hilker Assunção de Sousa teve 95% do corpo queimado - Foto: arquivo pessoal

O crime que vitimou o motorista de aplicativo ocorreu em novembro de 2020. Hilker foi roubado, agredido e teve o corpo queimado após realizar uma corrida no município de Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza. Ele foi socorrido para o Instituto Doutor José Frota (IJF), onde morreu 14 dias depois do ataque. Ele deixou a mulher e um filho.
G1 CE
Postagem Anterior Próxima Postagem